Audiência pública vai abrir ‘caixa preta’ do Hospital Regional de Coxim

Correio do Pantanal

28 maio 2019 às 18:01 hs
Audiência pública vai abrir ‘caixa preta’ do Hospital Regional de Coxim
Sheila Forato

Foto: Arquivo/EMS

Nesta quarta-feira (29), a partir das 19 horas, autoridades municipais de cidades da região norte devem se reunir na Câmara de Coxim para discutir a crise financeira do Hospital Regional Álvaro Fontoura e apontar as responsabilidades, das três esferas.

Inaugurado há pouco mais de uma década, nunca sobrou dinheiro no HR de Coxim, mas nos últimos dois anos começou a faltar. Atrasos no pagamento de fornecedores e funcionários gerou uma crise sem fim.

O reflexo de tudo isso tem onerado o Hospital Regional ainda mais. Informações obtidas pelo Edição MS dão conta que as dívidas tiraram o poder de negociação com fornecedores. Trocando em miúdos, o hospital tem de comprar de quem ainda quer vender e pelo preço estabelecido pelas empresas.

Com tanta dificuldade, muitas vezes o HR recorre a empréstimos, percorrendo cidades do Mato Grosso do Sul e até mesmo do Mato Grosso. Além do custo com combustível, o hospital gasta com funcionários que recebem diárias para buscar e devolver o material.

Paralelamente a isso, os atrasos nos pagamentos tem dificultado a manutenção de médicos, principalmente para atender no Pronto Socorro. É que com salários atrasados eles optam em trabalhar em outras cidades.

A direção do hospital alega que o custo é maior do que a receita. Da última vez em que o assunto foi tratado se falava em déficit de R$ 400 mil ao mês, que vem acumulando. Para se ter uma ideia, em outubro do ano passado, a dívida do HR com FGTS, INSS, IRPF ultrapassava R$ 6,1 milhões.

Vale lembrar que a audiência é pública. Todo cidadão pode (e deve) participar, inclusive com questionamentos à direção do Hospital Regional Álvaro Fontoura.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: