Asteróide com 570 metros vai passar junto à Terra na próxima semana

Correio do Pantanal

2 ago 2019 às 05:28 hs
Asteróide com 570 metros vai passar junto à Terra na próxima semana

NASA diz que não há motivo para preocupação e que é um fenómeno normal. O asteroide está rastreado e são os que ainda não estão catalogados que mais preocupam a agência espacial.

DN

É um asteroide grande, com um diâmetro de 570 metros, maior do que o Empire State Building, e na próxima semana vai passar junto à Terra. O Asteroid 2006 QQ23 deve surgir a 10 de agosto mas a NASA diz que não há motivo para preocupação, classificando o evento como normal.

Lindley Johnson e Kelly Fast, do Departamento de Coordenação de Defesa Planetária da NASA, dizem, à CNN, que não há nada a temer. Estes elementos ajudam a rastrear o que chamam de “objetos próximos à Terra”, como asteroides e cometas. O rastreamento desses objetos é principalmente um mecanismo de defesa, para garantir que nenhum deles esteja perto de atingir o nosso planeta.

No que diz respeito ao Asteroid 2006 QQ23, Johnson disse que é de tamanho moderado e está a quase 8 milhões de quilómetros de distância. É “mais ou menos benigno”, disse.

Os asteroides deste tamanho passam pela Terra cerca de meia dúzia de vezes por ano, acrescentou Johnson. Este 2006 QQ23 tem menos de um quilómetro de extensão, mas o maior conhecido tem cerca de 33 km de comprimento, embora asteroides deste tamanho sejam raros.

O programa da NASA, do qual Johnson e Fast fazem parte, catalogou quase 900 asteroides em redor da Terra que têm um diâmetro superior a 1 km. À medida que os asteroides diminuem de tamanho, tornam-se mais frequentes, mas a atmosfera normalmente queima os menores. Isso não significa que não possam causar algum dano. Em 2013, um meteoro de 15 metros de diâmetro rompeu a atmosfera da Terra sobre a Rússia. A explosão feriu mais de 1000 pessoas.

Se algo do tamanho do Asteroid 2006 QQ23 atingisse a Terra, poderia devastar uma área muito grande. Mas o impacto é raro, ocorrendo talvez uma vez a cada dois ou três séculos, de acordo com Johnson. E a NASA tem a tecnologia para encontrar esses asteroides e rastrear quando passarem perto da Terra.

Se um asteroide viesse em direção à Terra, o que representaria uma ameaça, a NASA lançaria uma campanha espacial para o desviar para um caminho diferente. Kelly Fast disse que a equipa não encontrou nada até agora que tenha uma hipótese significativa de atingir a Terra, mas pode haver asteroides no sistema que a equipa ainda não encontrou e catalogou.

“É sobre esses, dos quais não sabemos nada, que estamos preocupados”, disse.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: