As nove vítimas mortais do tiroteio em Dayton

Correio do Pantanal

6 ago 2019 às 16:25 hs
As nove vítimas mortais do tiroteio em Dayton

As nove vítimas mortais do tiroteio em Dayton

Pelo menos dez pessoas morreram, incluindo o atacante, e várias ficaram feridas no tiroteio de domingo, na cidade norte-americana de Dayton, Ohio.

“O atirador morreu. Há outros nove mortos. Pelo menos outras 27 pessoas foram transferidas para hospitais da área com ferimentos”, confirmou o Departamento de Polícia de Dayton na sua conta no Twitter.

Em alguns segundos, nove pessoas, que estavam nas ruas de Dayton, viram a sua vida tornar-se num caos mortal, causado por um homem que começou a disparar contra elas. O atirador, Connor Betts, de 24 anos, só parou quando a polícia disparou contra ele e o matou.

Estas são as nove vítimas mortais do ataque de Dayton:

Megan Betts

Megan e Connor BettsFoto: Facebook

Megan Betts era a irmã mais nova do atirador, Connor Betts. Tinha 22 anos, era estudante de ciências do ambiente e morreu em Dayton baleada pelo próprio irmão. Segundo a polícia, tinham chegado juntos a um bar em Oregon, mas depois separaram-se. Megan foi uma das primeiras vítimas a ser atingidas. Segundo o chefe da polícia de Dayton, os pais estão a viver “um pesadelo”.

De acordo com o seu currículo no LinkedIn, Megan passou uma parte do verão em Montana, nos Estados Unidos, a trabalhar. No verão passado, supervisionou atividades aquáticas infantis num parque e também já trabalhou em diversas lojas.

Monica Brickhouse

Segundo a imprensa local, Monica Brickhouse, de 39 anos, cresceu em Springfield, a cerca de 32 quilómetros de Dayton. Morou em Virgínia Beach por algum tempo, onde trabalhava para a Anthem, uma companhia de seguros de saúde. Transferiu-se recentemente para Dayton para trabalhar a partir de casa.

Durante o tiroteio, Monica estava com a amiga e colega de trabalho Beatrice Warren-Curtis, que também foi morta. A chefe executiva da Anthem, Gail Boudreaux, enviou uma nota aos funcionários da empresa descrevendo as duas mulheres como queridas amigas, “conhecidas pela energia positiva”, segundo a emissora de televisão “WAVY”.

Nicholas P. Cumer

Nicholas P. CumerFoto: DR

Nicholas Cumer, de 25 anos, tinha apenas mais cinco dias de estágio na “Maple Tree Cancer Alliance”, em Dayton, para terminar o mestrado em fisiologia pela Universidade de St. Francis, na Pensilvânia. Ia também começar a trabalhar permanentemente naquele local.

“Ele queria passar o resto da vida a trabalhar com pacientes com cancro”, disse Karen Wonders, diretora executiva da Maple Tree. Estava com dois colegas, no momento do tiroteio, que ficaram feridos.

Derrick R. Fudge

Derrick R. FudgeFoto: DR
ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: