Envolvida em arrastão, quadrilha tinha especialista para desbloquear celular

Correio do Pantanal

4 abr 2018 às 10:49 hs
Envolvida em arrastão, quadrilha tinha especialista para desbloquear celular

Grupo foi preso na noite ontem pela PM, com 11 celulares e um tablet

Por RENAN NUCCI – Correio do Estado

Grupo envolvido em série de roubos de celulares em Campo Grande foi preso no final da noite de ontem, em ação da Polícia Militar. Os autores atuavam de forma organizada e tinham uma pessoa responsável somente pelo desbloqueio e formatação dos dispositivos que, posteriormente, seriam comercializados no mercado ilegal. Foram recuperados 11 celulares e um tablet. Uma moto utilizada nos crimes foi apreendida

Segundo a polícia, a equipe fazia rondas pela Avenida Guaicurus, quando avistou dois suspeitos em uma motocicleta Honda CG vermelha. O veículo tinha as mesmas características, inclusive a placa, da moto usada pelos autores de roubos com arma ocorridos recentemente na Capital. Por este motivo, os policiais abordaram o piloto e o garupa, identificados como Eder Henrique da Silva, de 30 anos, e Daniel Teixeira Toledo, 18.

Em entrevista, Daniel afirmou ter dispensado uma arma de fogo e que teria participado dos roubos de celulares com Fábio Augusto de Andrade Monteiro, 28. Em buscas pelas imediações, os PMs encontraram uma garrucha calibre 38 jogada no mato. Daniel relatou ainda que os aparelhos estariam escondidos na casa de Marcos Henrique da Silva, 26, e Eder.

No imóvel, localizado na Rua Edevaldo Almeida Couto, os policiais encontraram celulares e o tablet, entre eles telefones roubados de três mulheres com idades entre 18 e 32 anos. Na casa de Fábio, na Rua Paulo Ubiratan, havia mais um celular. O grupo informou ainda onde morava Willian Thadeu Poleski, 19, que tinha a tarefa de preparar os aparelhos para venda, fazendo o desbloqueio e formatação.

Os cinco foram levados para a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) da Vila Piratininga e responderão por roubo majorado pelo emprego de arma, concurso de pessoas, associação criminosa, receptação e porte ilegal de arma de fogo.

De acordo com a Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), desde o dia primeiro de janeiro de 2018 até hoje, foram registrados 1.679 roubos em Campo Grande. O número é menor que os 1.960 casos no mesmo período do ano passado, mas mesmo assim ainda leva a média preocupante de 17,8 roubos por dia.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: