3,1 milhões de desempregados buscam emprego há mais de 2 anos, aponta IBGE

Correio do Pantanal

16 ago 2018 às 10:48 hs
3,1 milhões de desempregados buscam emprego há mais de 2 anos, aponta IBGE

Número é recorde e corresponde a cerca de 24% do total de pessoas que procuravam emprego no 2º trimestre deste ano. Já número de brasileiros que desistiram de procurar emprego chega a 4,8 milhões.

Do total de desempregados no país, 6 milhões estão procurando trabalho há mais de 1 mês e até há 1 ano, 1,8 milhão entre 1 e 2 anos, e 1,9 milhão há menos de um mês.

Proporcionalmente, Amapá é o estado que tem a maior população de desempregados procurando emprego há mais de 2 anos. Lá, 49,3% dos desempregados estão nesta condição. Em SP, são 830 mil desempregados nesta condição, o que corresponde a 24,2% deste contingente

taxa de desemprego recuou para 12,4% no 2º trimestre, ante 13,1% no 1º trimestre, segundo já havia sido divulgado anteriormente pelo IBGE. A queda da taxa de desemprego, entretanto, tem sido puxada pela geração de postos informais e pelo grande número de brasileiros fora do mercado de trabalho. Já o número de trabalhadores com carteira é o menor já registrado pelo IBGE.

Evolução do número de desempregados
Em número de desocupados no trimestre móvel
13.48613.48613.32613.32613.11313.11312.96112.96112.74012.74012.57112.57112.31112.31112.68912.68913.12113.12113.68913.68913.41313.41313.23513.23512.96612.966abr-mai-jun/17mai-jun-jul/17jun-jul-ago/17jul-ago-set/17ago-set-out/17set-out-nov/17out-nov-dez/17nov-dez-jan/18dez-jan-fev/18jan-fev-mar/18fev-mar-abr/18mar-abr-mai/18abr-mai-jun/1802,5k5k7,5k10k12,5k15k
Fonte: IBGE

Número dos que desisitiram de procurar também é recorde

Apesar da queda no número de desempregados no 2º trimestre, a pesquisa do IBGE mostra que aumentou o número dos que trabalham menos do que gostariam, que saíram da força de trabalho por algum motivo pessoal ou familiar, ou que simplesmente desistiram de procurar alguma ocupação.

número de desalentados bateu novo recorde e atingiu 4,8 milhões no 2º trimestre, 203 mil pessoas a mais em relação ao 1º trimestre. Já o número de subocupados subiu para 6,5 milhões contra 6,2 milhões nos 3 primeiros meses do ano.

O coordenador da pesquisa, Cimar Azeredo, destacou que o número recorde de desalentados revela que o contingente de desempregados pode ser muito maior. Isso porque desalentado é aquele trabalhador que desistiu de procurar emprego e que isso não significa que ele recusaria uma vaga se lhe fosse oferecida. Já o desempregado é aquele que está em busca de colocação no mercado.

“Muitas dessas pessoas desalentadas sequer têm dinheiro para pagar passagem e procurar emprego”, afirma.

Número de brasileiros que desistiram de procurar emprego
Em milhões
1,9951,9951,91,92,0022,0021,8021,8021,571,571,4871,4871,6781,6781,8511,8512,8412,8413,533,534,1194,1194,3524,3524,8334,8331º tri 20122º tri 20123º tri 20124º tri 20121º tri 20132º tri 20133º tri 20134º tri 20131º tri 20142º tri 20143º tri 20144º tri 20141º tri 20152º tri 20153º tri 20154º tri 20151º tri 20162º tri 20163º tri 20164º tri 20161º tri 20172º tri 20173º tri 20174º tri 20171º tri 20182º tri 20180123456
Fonte: IBGE

Perfil do desemprego

Segundo o IBGE, 67% dos desempregados no país têm entre 18 e 39 anos. Outros 23% têm entre 40 e 59 anos.

“O que mais preocupa é essa parcela da população adulta, que é a que deveria efetivamente estar ocupada, já que a princípio seria a que já concluiu os estudos, se constitui como arrimo de família e que tende a ter mais dificuldade de se recolocar no mercado”, avaliou Azeredo.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: