Um quarto das cidades de MS está em situação de emergência pelos estragos provocados pela chuva

Correio do Pantanal

21 fev 2018 às 16:16 hs
Um quarto das cidades de MS está em situação de emergência pelos estragos provocados pela chuva

De 22 cidades em emergência, 16 obtiveram o reconhecimento estadual.

Na área rural de Bonito (MS) várias propriedades foram alagadas com o transbordamento de rios e córregos da região neste início de semana (Foto: Reprodução/TV Morena)

Na área rural de Bonito (MS) várias propriedades foram alagadas com o transbordamento de rios e córregos da região neste início de semana (Foto: Reprodução/TV Morena)

Dos 79 municípios de Mato Grosso do Sul, 22 já decretaram situação de emergência em razão dos estragos provocados pelo grande volume de chuvas entre o fim do ano passado e o início de 2018 e o número pode aumentar nos próximos dias, com os aguaceiros dos últimos dias que provocaram danos em outras cidades do estado, como Bonito e Aquidauana.

O número atual de municípios em emergência em Mato Grosso do Sul representa 27,84% do total das cidades do estado, o equivalente a uma em cada quatro, afetada severamente pelas precipitações intensas, por vendavais, enxurradas e alagamentos, segundo a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil.

Decretaram emergência, conforme a Defesa Civil: Amambai, Antonio João, Bataguassu, Batayporã, Brasilândia, Bela Vista, Caracol, Coronel Sapucaia, Coxim, Deodápolis, Eldorado, Iguatemi, Itaquiraí, Japorã, Miranda, Mundo Novo, Novo Horizonte do Sul, Porto Murtinho, Rio Verde de Mato Grosso, Santa Rita do Pardo, Sete Quedas e Tacuru.

Vinte e duas cidades de Mato Grosso do Sul estão em situação emergência por causa da chuva

Vinte e duas cidades de Mato Grosso do Sul estão em situação emergência por causa da chuva

Destes 22, 16 tiveram a emergência ratificada pelo governo do estado, sendo as últimas cinco no dia 7 de fevereiro. Os municípios que já tinham a situação homologada anteriormente eram: Amambai, Coronel Sapucaia, Eldorado, Iguatemi, Itaquiraí, Japorã, Novo Horizonte do Sul, Santa Rita do Pardo, Sete Quedas e Tacuru (todos por decreto estadual), além de Porto Murtinho (feita por parecer, sem decreto, para agilizar a busca por recursos federais).

Os cinco que tiveram a emergência ratificada por último, por meio de decreto publicado no Diário Oficial do Estado, foram: Antonio João, Caracol, Bela Vista, Coxim e Rio Verde de Mato Grosso.

De acordo com a Defesa Civil, entre os municípios que decretaram emergência no estado, aproximadamente 76 mil pessoas foram afetadas de algum modo pela situação.

Moradores de Aquidauana (MS) tentam salvar o que podem das águas da chuva após alagamento nesta terça-feira (20) (Foto: Alysson Maruyama/TV Morena)

Moradores de Aquidauana (MS) tentam salvar o que podem das águas da chuva após alagamento nesta terça-feira (20) (Foto: Alysson Maruyama/TV Morena)

Chuva provoca novos estragos

Neste início de semana o excesso de chuva provocou mais estragos no estado. Entre a noite de segunda-feira (19) e manhã de terça-feira (20), alguns pontos de Bonito, no sudoeste de Mato Grosso do Sul, chegaram a registrar 240 milímetros de chuva, segundo dados apurados pela Defesa Civil do município. O aguaceiro, que provocou o transbordamento de córregos e rios, causando inundações, a destruição de pontes e deixando estradas, principalmente na zona rural, intransitáveis, desalojou pelo menos 50 famílias.

Já em Aquidauana, na região oeste do estado, pelo menos 40 famílias ficaram desalojadas com a cheia do rio de mesmo nome da cidade. As duas pontes da cidade foram interditadas e a Defesa Civil pediu auxílio ao Exército, que instalou na madrugada desta quarta-feira (21) uma passadeira flutuante para assegurar pelo menos o trânsito de pessoas a pé entre o município e a cidade vizinha, Anastácio.

Exército instala passadeira flutuante para evitar isolamento de Aquidauana,MS

Exército instala passadeira flutuante para evitar isolamento de Aquidauana,MS

A estrutura, uma passarela de duralumínio (liga de alumínio com magnésio), foi instalada, conforme o relações públicas do 9º BE Cmb, subtenente Francisco das Chagas Alves, na madrugada desta quarta-feira.

Cerca de 60 militares estiveram envolvidos na instalação da passarela sob flutuadores ( barcos). A estrutura tem aproximadamente 144 metros e o acesso é pela ponte nova. Mesmo com a passarela, para que os pedestres façam a travessia, a parte final do trajeto tem de ser feita com uma embarcação militar.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: