O que o governo ainda precisa explicar sobre o funcionamento das escolas cívico-militares

Correio do Pantanal

11 out 2019 às 19:34 hs
O que o governo ainda precisa explicar sobre o funcionamento das escolas cívico-militares

Letícia Mori (@_leticiamori)Da BBC News Brasil em São Paulo

Crianças em posição de sentido
Image captionAlunos têm de se apresentar em posição de sentido em escola com parceria militar na Bahia

A implementação de escolas cívico-militares no ensino básico e médio é um dos principais projetos do governo Bolsonaro para a educação.

Embora o governo tenha publicado o decreto de criação do programa com sua moldura básica, ainda se sabe muito pouco como esse plano funcionará, qual o seu escopo ou como será o financiamento.

O plano prevê atuação de militares da reserva na administração de escolas, mas também não está claro qual será o nível de interferência deles na área pedagógica.

Diferentemente das escolas totalmente militares, que são geridas somente pelo Exército e pensadas para os filhos de militares, nesse formato cívico-militar o currículo é determinado pelas secretarias de educação, mas os estudantes seguem regras definidas pelos militares.

Fora essa ideia geral e o fato de que os Estados podem escolher participar — 16 unidades federativas aderiram —, o governo não determinou praticamente nenhum detalhe operacional do programa.nullTalvez também te interesse

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: