Polícia aguarda decisão da Justiça para incinerar maior apreensão de maconha da história do Brasil: 33 toneladas

Correio do Pantanal

27 ago 2020 às 20:20 hs
Polícia aguarda decisão da Justiça para incinerar maior apreensão de maconha da história do Brasil: 33 toneladas

De acordo com DOF, droga estava escondida em uma carreta. Dois homens foram presos e entorpecente encaminhado para a sede do Defron, em Dourados (MS).

Por Flávio Dias, G1MS — Campo Grande


Apreensão histórica de maconha do país é registrada em Mato Grosso do Sul.

00:00/01:20

Apreensão histórica de maconha do país é registrada em Mato Grosso do Sul.

A polícia de Mato Grosso do Sul aguarda a decisão da Justiça para incinerar a maior quantidade de maconha apreendida na história do Brasil. De acordo com o Departamento de Operações da Fronteira (DOF), ligado à Polícia Militar, 33 toneladas do entorpecente foram encontrados em uma carreta na quarta-feira (26), na MS-156, em Maracaju, a 158 km de Campo Grande.

Segundo o tenente-coronel do DOF, Wagner Ferreira, já foi solicitado à comarca de Maracaju (MS), local da apreensão, o pedido para o procedimento.

Ainda de acordo com o DOF, a carga já está na sede da Delegacia de Repressão aos Crimes de Fronteira (Defron) em Dourados. O local de incineração não será divulgado por motivo de segurança.

As 33 toneladas de maconha estavam sendo transportadas em carreta bitrem, que foi apreendida em Maracaju (MS) — Foto: DOF/Divulgação

As 33 toneladas de maconha estavam sendo transportadas em carreta bitrem, que foi apreendida em Maracaju (MS) — Foto: DOF/Divulgação

Conforme o órgão, nesta ocorrência, dois homens, um de 25 e outro de 45 anos, foram presos. Policiais do DOF fazia patrulhamento na MS-156, em Maracaju, quando deu ordem de parada a uma carreta que seguia no sentido contrário ao da viatura. O motorista desobedeceu os policiais e tentou manobrar para entrar com o veículo em uma estrada vicinal.

No entanto, o condutor não conseguiu fazer a manobra, abandonou a carreta às margens da rodovia e fugiu a pé levando a chave do veículo, não sendo localizado. Os policiais revistaram as carrocerias e encontraram os tabletes de maconha. Não havia nenhuma carga lícita. O DOF levou quatro horas para concluir a pesagem do entorpecente.

Um carro que seguia logo atrás da carreta foi abordado e nele estavam os dois homens que foram presos. Eles faziam o serviço de batedor, avisando ao motorista do veículo com a droga sobre a presença de polícia nas rodovias.

Maconha estava em carreta, sem nenhuma carga licíta — Foto: Carlos da Cruz/TV Morena

Maconha estava em carreta, sem nenhuma carga licíta — Foto: Carlos da Cruz/TV Morena

Conforme o boletim de ocorrência, o preso mais velho confessou que receberia dinheiro pelo serviço. No carro e na carreta foram encontrados rádios comunicadores na mesma frequência.

A última apreensão recorde de maconha havia sido feita em maio deste ano, em uma ação conjunta entre a Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Iguatemi. Na ocasião foram retiradas de circulação 28 toneladas da droga. Um homem foi preso.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: