Democratas acusam Donald Trump pelo ataque ao Capitólio

Correio do Pantanal

10 fev 2021 às 20:42 hs
Democratas acusam Donald Trump pelo ataque ao Capitólio

Os procuradores mostram vídeos com imagens nunca antes vistas sobre o ataque ao Capitólio, mostrando a “violência extrema” dos apoiantes de Trump e revelando como eles estiveram perto dos congressistas, no dia 6 de janeiro.

Segundo dia do julgamento político do ex-presidente dos EUA, Donald Trump
Segundo dia do julgamento político do ex-presidente dos EUA, Donald Trump© EPA/JIM LO SCALZO

DN/Lusa10 Fevereiro 2021 — 18:39

Os procuradores democratas no julgamento político de Donald Trump acusaram esta quarta-feira o ex-Presidente dos EUA de ter sido o principal responsável pelo ataque ao Capitólio, a 6 de janeiro, que provocou cinco mortes.

No segundo dia do julgamento político no Senado, a equipa de nove procuradores democratas, membros da Câmara de Representantes, iniciou a apresentação de argumentos dizendo que Trump deve ser condenado por “incitação à insurreição”, por ter impelido os seus apoiantes a atacarem o Capitólio.

Jamie Raskin, o democrata que lidera a acusação, disse que, resolvida que está a questão da constitucionalidade deste julgamento, o Senado deve agora exercer o seu poder jurisdicional e condenar Trump, para evitar que futuros Presidentes sigam o seu exemplo e repitam as ações que o ex-Presidente considerou “totalmente adequadas”.

Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.SUBSCREVER

Os procuradores mostram vídeos com imagens nunca antes vistas sobre o ataque ao Capitólio, mostrando a “violência extrema” dos apoiantes de Trump e revelando como eles estiveram perto dos congressistas, no dia 6 de janeiro.

“Pode parecer loucura. Mas havia método naquela loucura”

“(O vídeo) mostrará a gravidade do que Donald Trump desencadeou no nosso Capitólio”, disse uma fonte oficial da Câmara de Representantes.

“Pode parecer loucura. Mas havia método naquela loucura”, argumentou Raskin, referindo-se ao que alegou ser um plano estudado para atacar o Capitólio e intimidar os senadores que nesse dia validavam os resultados eleitorais questionados por Trump.

Num outro vídeo já apresentado no Senado, os democratas mostraram os eventos do dia 6 de janeiro, desde o discurso de Trump num comício perante os seus apoiantes, pedindo para eles marcharem até ao Capitólio, até imagens gráficas da destruição, confusão e terror provocados pela multidão.

Para muitos legisladores, senadores e jornalistas que vivenciaram a agressão pessoalmente, não foi fácil revivê-la através daquele vídeo, e o silêncio era palpável no plenário do Senado quando terminou a exibição das imagens.

Os procuradores democratas têm no máximo 16 horas, em duas sessões, para apresentar o seu caso.

“Ataque político sem precedentes” a Trump, defende advogado do ex-presidente

O principal advogado de defesa do ex-Presidente, Bruce Castor, disse que mudou a sua estratégia, após ter ouvido a abertura emocional dos democratas, tendo feito um apelo ao patriotismo dos senadores, para rejeitarem o que considera ser um “ataque político sem precedentes” a Trump, na sua intervenção de terça-feira.

Castor voltará a falar quando os procuradores terminarem a apresentação do caso e já fez saber que Trump não estará presente no julgamento político, tendo deixado nas mãos dos seus três advogados a defesa da sua inocência.

O julgamento político de Trump poderá terminar já este fim de semana, a menos que as partes decidam convocar testemunhas, o que não é, para já, provável.

Também é improvável que os democratas consigam a condenação do ex-Presidente, já que precisam de uma maioria de dois terços dos votos, o que implicaria serem capazes de atrair 17 votos dos republicanos, numa câmara alta dividida a meio (50-50).

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.