Empresário de 75 anos é torturado e tem pele arrancada por assaltantes

Correio do Pantanal

30 set 2019 às 07:35 hs
Empresário de 75 anos é torturado e tem pele arrancada por assaltantes

Após crime, os bandidos fugiram com a caminhonete, a carteira e os celulares das vítimas. Caso é investigado

Geisy Garnes e Izabela Sanchez

Bem vindo ao Player Audima. Clique TAB para navegar entre os botões, ou aperte CONTROL PONTO para dar PLAY. CONTROL PONTO E VÍRGULA ou BARRA para avançar. CONTROL VÍRGULA para retroceder. ALT PONTO E VÍRGULA ou BARRA para acelerar a velocidade de leitura. ALT VÍRGULA para desacelerar a velocidade de leitura.Play!Ouça: Empresário de 75 anos é torturado e tem pele arrancada por assaltantes – Capital0:00100%AudimaAbrir menu de opções do player Audima.

Os braços da vítima ficaram em carne viva (Foto: Direto das Ruas)

Os braços da vítima ficaram em carne viva (Foto: Direto das Ruas)

Um empresário de 75 anos foi torturado durante um assalto em Ponta Porã, a 323 quilômetros de Campo Grande. Ele e a mulher, de 66 anos, foram rendidos dentro de casa por três homens fortemente armados, que após o crime fugiram com a caminhonete das vítimas, uma Hilux.

De acordo com o site Porã News, o casal dormia quando foi surpreendido pelos bandidos, que pularam o muro da casa. A mulher foi trancada em um dos banheiros enquanto o marido ficou com os assaltantes. Durante esse tempo ele ficou amarrado e foi espancado. Há ainda suspeita de que os autores passaram com o carro em cima dos braços da vítima.

Após a sessão de tortura os bandidos fugiram com a caminhonete da vítima, uma Hilux placa EZR-1966, os celulares do casal e a carteira do empresário.

A vítima foi deixada com ferimentos graves no braço, que teve a pele arrancada e só foi socorrida depois que a mulher conseguiu escapar do banheiro e pedir ajuda para os filhos. O empresário foi levado para uma clinica particular do outro lado da fronteira, em Pedro Juan Caballero, onde permanece internado.

O caso agora é investigado pelo SIG (Setor de Investigação Geral) de Ponta Porã com o apoio da Divisão de Investigações Criminais de Casos Puníveis da Polícia Nacional do Paraguai em Pedro Juan Caballero.

(Colaborou Helio de Freitas, de Dourados)

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: