Oito homens são presos em MS com mais de dois milhões de maços de cigarros contrabandeados do Paraguai
  • No Banner to display

  • celular

Correio do Pantanal

26 out 2019 às 10:11 hs
Oito homens são presos em MS com mais de dois milhões de maços de cigarros contrabandeados do Paraguai

Produtos que entraram ilegalmente no Brasil estavam em assentamento rural próximo a Itaquiraí. De acordo com pesquisa Ibope Inteligência, de 2019, 87% dos cigarros consumidos no estado são contrabandeados.

Por João Pedro Godoy, G1 MS

Seis homens foram presos em operação que apreendeu sete veículos carregados de cigarros contrabandeados — Foto: Divulgação

Seis homens foram presos em operação que apreendeu sete veículos carregados de cigarros contrabandeados — Foto: Divulgação

Oito homens foram presos na madrugada desta sexta-feira (25), com sete veículos carregados, no total, com aproximadamente dois milhões e 100 mil maços de cigarros contrabandeados, em um assentamento rural próximo a Itaquiraí, município a 404 quilômetros de Campo Grande e próximo da fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai. A ação faz parte da Operação Hórus, que visa justamente fortalecer o combate ao contrabando e outros crimes na região de fronteira.

Conforme a ocorrência, a operação desta sexta, realizada pela Polícia Federal de Naviraí, Batalhão de Operações Especiais (BOPE) da Polícia Militar e Ministério da Justiça e Segurança Pública, foi iniciada com acompanhamentos dos suspeitos. Com isso, as equipes conseguiram identificar uma das rotas utilizadas pelos contrabandistas, que utilizavam estradas rurais da região de Itaquiraí para escoar os produtos para os estados do Paraná e São Paulo.

Os sete caminhões estavam estacionados em dois lotes nos assentamentos Tamakavi e Guassu, na cidade de Itaquiraí. Eles estavam carregados com aproximadamente 600 caixas de cigarros de origem paraguaia em cada um. Além dos veículos, também foram apreendidos uma motocicleta e um veículo de passeio. Oito homens foram presos.

Os produtos e os suspeitos foram levados até a Delegacia da Polícia Federal em Naviraí, cidade vizinha a Itaquiraí, onde a carga foi somada e as devidas providências foram tomadas.

Essa é a terceira maior apreensão de cigarros registrada de uma só vez pela delegacia de Naviraí/MS. De acordo com a Polícia Federal, mais de 30 toneladas de produtos contrabandeados já foram apreendidos na Operação Hórus.

Caminhões que estavam com carga de cigarros contrabandeados do Paraguai, foram apreendidos em Itaquiraí (MS) — Foto: Polícia Federal/Divulgação

Caminhões que estavam com carga de cigarros contrabandeados do Paraguai, foram apreendidos em Itaquiraí (MS) — Foto: Polícia Federal/Divulgação

87% dos cigarros que circulam em MS são contrabandeados

É o que diz a pesquisa Ibope Inteligência de 2019. Com dados sobre o contrabando e mercado ilegal, o estudo mostra ainda que 49% de todos os cigarros consumidos no Brasil foram contrabandeados, principalmente do Paraguai.

O estudo também aponta um aumento no consumo de cigarros contrabandeados em Mato Grosso do Sul, de 82 para 87% e o atribui a redução no volume de apreensões (entre janeiro e junho deste ano foram apreendidos 629 milhões de cigarros – 8% menos do que no mesmo período em 2018), aumento da participação de mercado de cigarros ilegais (nacionais de 0% para 2% e contrabandeados de 82% para 85%) e preço médio do cigarro ilegal muito baixo.

De acordo com a pesquisa, no Brasil, os impostos sobre os cigarros variam de 70% a 90%, dependendo do estado. Já no Paraguai, o produto é taxado em 18%. Com isso, enquanto a média de preço dos cigarros fabricados legalmente por aqui é de R$ 7,51, o cigarro ilegal é comercializado por R$ 3,44, valor 55% inferior.

O Ibope Inteligência 2019 ainda aponta para o prejuízo gerado pelo contrabando. Conforme o estudo, se todos os pontos de participação de mercado ilegal fossem convertidos em produto legal seriam gerados apenas em ICMS a arrecadação de R$ 187 milhões e de IPI proveniente do FPE (Fundo de Participação do Estado) cerca de R$ 18 milhões iriam para os cofres estaduais. Ou seja, a previsão é de que o estado de Mato Grosso do Sul deixe de arrecadar cerca de R$ 205 milhões em impostos no ano 2019, devido ao contrabando.

A pesquisa do Ibope é realizada desde 2014, quando o mercado ilegal no país somava 40% de todos os cigarros comercializados. Tem abrangência nacional e, em 2019, foi a campo entre janeiro e abril. Foram realizadas entrevistas presenciais com 8.428 fumantes com idades de 18 a 64 anos, residentes em municípios com 20 mil habitantes ou mais.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: