Bolsonaro diz que o Brasil está “uma maravilha”

Correio do Pantanal

6 jan 2021 às 17:29 hs
Bolsonaro diz que o Brasil está “uma maravilha”

NOTICIAS AO MINUTO

O Presidente Jair Bolsonaro afirmou hoje que o Brasil está “uma maravilha”, um dia após ter dito que o país estava falido e que não tinha condições de remediar a crise econômica causada pela pandemia de covid-19.

“Você viu a confusão ontem? Que eu disse que o Brasil estava quebrado. Não. O Brasil está bem. Está uma maravilha”, disse hoje Bolsonaro, numa tentativa de minimizar a polêmica que causou com a sua declaração na véspera sobre o estado grave das finanças do país, rebatidas por economistas e até por aliados seus.

O líder falou sobre a polêmica a um grupo de apoiadoresque o esperava em frente ao Palácio da Alvorada, a sua residência oficial em Brasília.

Na terça-feira, o Presidente tinha dito que a economia do país estava “quebrada” depois da crise gerada pela covid-19, acrescentando que a imprensa foi responsável por agravar a situação, ampliando os efeitos danosos da pandemia.

“O Brasil está quebrado chefe, eu não consigo fazer nada. Eu queria mexer na tabela do Imposto de Renda, teve esse vírus, potencializado por essa imprensa que nós temos. Essa imprensa sem caráter que nós temos”, disse Bolsonaro na terça-feira, também junto ao Palácio do Alvorada.

Vários economistas e líderes políticos criticaram Bolsonaro pela afirmação, que consideraram infundada e que pode assustar investidores, visto que a equipe econômica do Governo tem defendido que a economia está se recuperando rapidamente e deve encerrar 2021 com forte expansão.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, que estava de férias, decidiu conceder uma entrevista para esclarecer a declaração de Bolsonaro.

Guedes justificou o comentário do presidentedizendo que a falência citada pelo chefe de Estado se refere às contas públicas e não à situação da economia do país em geral.

“Ele está se referindo obviamente à situação do setor público, que está em uma situação financeira difícil, pois, depois dos excessos de gastos dos governos anteriores, foi derrubado o primeiro governo que vinha falando em corte brusco de gastos por causa da pandemia. Estamos reconhecendo a dificuldade da situação, mas estamos enfrentando”, disse Guedes.

De acordo com as últimas projeções do Governo e dos economistas, o Brasil encerrou 2020 com uma contração econômica de cerca de 4,5%, a maior em várias décadas, mas um percentual bem menor do que o esperado nos primeiros meses da pandemia.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.