Exportações de carne de porco e de frango desaceleram em novembro, mas preços voltam a subir

Correio do Pantanal

5 dez 2019 às 22:44 hs
Exportações de carne de porco e de frango desaceleram em novembro, mas preços voltam a subir

Puxadas pela China, vendas para o exterior continuam em alta na comparação com 1 ano atrás.

Por Rikardy Tooge, G1

Exportações de carne de porco subiram 14% em 2019, com forte demanda da China — Foto: REUTERS/Stringer

Exportações de carne de porco subiram 14% em 2019, com forte demanda da China — Foto: REUTERS/Stringer

As exportações de carne de frango e de porco desaceleraram em novembro na comparação com outubro, mas o total vendido ao exterior em 2019 segue positivo, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (5) pela associação que representa os frigoríficos do setor (ABPA).

Foram vendidas 66,4 mil toneladas de carne suína para o exterior no mês passado, abaixo das 68,1 mil toneladas negociadas em outubro (-2,5%). As exportações de frango somaram 332 mil toneladas em novembro contra 334 mil no mês anterior (-0,6%).

Exportações de carnes de frango e porco em 2019 — Foto: G1 Agro

Exportações de carnes de frango e porco em 2019 — Foto: G1 Agro

Na comparação com 1 ano atrás, no entanto, as exportações de carne de porco subiram 13,2%. As de frango cresceram 3,1%, na mesma comparação.

O ritmo das exportações em 2019 é apontado como um dos principais motivos para alta no preço das carnes no país neste fim de ano.

E, ao contrário do preço do boi gordo, que está caindo nos primeiros dias de dezembro, os valores das carnes de frango, suína e de ovos estão subindo no mercado brasileiro, de acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da USP (Cepea).

Preços do frango resfriado no mercado de São Paulo até 4 de dezembro — Foto: G1 Agro

Preços do frango resfriado no mercado de São Paulo até 4 de dezembro — Foto: G1 Agro

Nos últimos dias, o quilo da carne de frango resfriada vendida no atacado no estado de São Paulo subiu 3% na comparação com o mês anterior, custando R$ 5,40. No ano passado, o mesmo produto custava R$ 4,65.

Mesmo movimento de alta teve a carne de porco. Em todos os estados analisados pelo Cepea, o preço pago ao produtor de suínos apresenta alta, o que sugere que haverá repasse ao consumidor.

O aumento mais expressivo foi no Rio Grande do Sul, onde o quilo subiu 3,16% em um mês, custando R$ 5,23. No mesmo dia de 2018, o custo era de R$ 3,15.

Preços do porco no segundo semestre até o dia 4 de dezembro — Foto: G1 Agro

Preços do porco no segundo semestre até o dia 4 de dezembro — Foto: G1 Agro

Até mesmo o ovo branco, que havia diminuído os preços na penúltima semana de novembro, voltou a ter alta. Na última semana do mês, uma caixa com 30 dúzias vendidas no comércio subiu 1,43%, de R$ 78,38 para R$ 79,49.

Preços do ovo branco no segundo semestre até 4 de dezembro — Foto: G1 Agro

Preços do ovo branco no segundo semestre até 4 de dezembro — Foto: G1 Agro

Demanda chinesa continuará forte

“Assim como nas vendas de carne suína, o quadro sanitário da Ásia também tem gerado impactos significativos nas exportações de carne de frango. Mesmo com novos players no mercado, a demanda chinesa continuará a ser um dos motores do mercado internacional do próximo ano”, analisa Ricardo Santin, diretor-executivo da ABPA.

Ele se refere ao surto de peste suína africana, que já levou milhões de porcos à morte na Ásia e fez com que os chineses aumentassem a importação não só de suínos, mas também de carne bovina e de frango do Brasil.

As vendas de frango para a China subiram 61% maior em novembro, frente a 1 ano atrás. As de suínos para a Ásia subiram 117%, segundo a ABPA, que destacou que Hong Kong aumentou em 25% suas compras.

Alta do valor da carne altera preços de restaurantes e marmitas em Belém

Alta do valor da carne altera preços de restaurantes e marmitas em Belém

Preço da carne pode variar em mais de 100% em João Pessoa, diz Procon-JP

Preço da carne pode variar em mais de 100% em João Pessoa, diz Procon-JP

Com aumento no preço da carne vermelha, aumenta o consumo de ovos
ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: