Perito diz que telhado evitou lesão fatal de criança que caiu de uma altura de 25 metros em BH

Correio do Pantanal

14 out 2019 às 20:49 hs
Perito diz que telhado evitou lesão fatal de criança que caiu de uma altura de 25 metros em BH

A menina caiu do 9° andar de um prédio. Pais acreditam em episódio de sonambulismo.

Por Jornal Nacional — Belo Horizonte

Menina de 10 anos sobrevive à queda do 9º andar de prédio em Belo Horizonte

Menina de 10 anos sobrevive à queda do 9º andar de prédio em Belo Horizonte

A menina de dez anos, que sofreu queda de 25 metros neste domingo (13), teria sido salva pelo telhado da área privativa onde caiu. De acordo com o perito criminal da Polícia Civil, André Godoy, a estrutura acabou amortecendo o corpo da criança que sofreu fraturas.

“O ponto desse telhado que ela caiu não tinha nenhuma madeira mais rígida. Ele não ofereceu resistência suficiente para causar uma lesão grave fatal, mas ele ofereceu ao mesmo tempo resistência para amortecer essa queda”, disse ele.

A menina de 10 anos caiu do 9º andar de um prédio em Belo Horizonte . Ela segue internada nesta segunda-feira (14) no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital de Pronto-Socorro João XXIII. A TV Globo apurou que ela está bem, consciente e conversando após duas cirurgias, sendo que a segunda durou 12 horas. A queda foi na madrugada deste domingo (13).

De acordo com o boletim de ocorrência, Clara Pereira passava o feriado com um casal de primos que mora no prédio, no bairro Heliópolis, Região Norte de Belo Horizonte.

A menina foi dormir em um quarto, e o casal, em outro. Quando já estavam deitados, os primos ouviram um barulho alto. Eles buscaram a menina dentro de casa e a viram caída embaixo da janela da sala de estar.

Um vizinho que mora no 1º andar do prédio disse que também ouviu o barulho e encontrou o telhado da área privativa quebrado e a menina caída na parte externa do apartamento.

A polícia ainda não divulgou como aconteceu a queda. Os pais da menina disseram, ainda no domingo, na frente do hospital, que suspeitam de um episódio de sonambulismo, já que a criança havia apresentado outras crises do distúrbio.

O pai da Clara, Wallace Paes, conversou rapidamente com a TV Globo por telefone. Ele disse que a menina está bem.

“Ela está bem, dormiu bem, reagiu bem. Está estável”, disse o pai, abalado pela queda da filha. Ele contou que conversou com Clara às 8h desta segunda-feira (14) e que, por volta das 11h, ela estava dormindo porque tinha tomado uma medicação mais forte para dor.

No domingo, Clara foi submetida a duas cirurgias. Uma delas em uma das pernas, e a segunda para reconstrução de um dos braços e também do queixo. Esta última durou 12 horas e envolveu equipes da pediatria, ortopedia e trauma, além de mobilizar o banco de sangue da Fundação Hemominas.

Logo após o segundo procedimento, ela foi internada no Centro de Terapia Intensiva (CTI), onde estava até a publicação desta reportagem. O pai passou por atendimento psicológico no hospital.

A extensão dos danos também não foi divulgada, embora o pai tenha dito à TV Globo, na porta do hospital no domingo, que a menina não sofreu lesão na coluna.

A Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), que administra o hospital que é referência no atendimento de politraumatismos, não informa estado de saúde de pacientes.

A Polícia Civil informou que já realizou os trabalhos iniciais de investigação, que a perícia esteve no local e o laudo deve ficar pronto em 30 dias, podendo ser prorrogado por mais 30.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: