A disputa entre russos e franceses sobre a idade da ‘mulher mais velha do mundo’

Correio do Pantanal

18 set 2019 às 19:13 hs
A disputa entre russos e franceses sobre a idade da ‘mulher mais velha do mundo’
Jeanne Calment de perfil, fumando
Image captionJeanne Calment retratada em seu 117º aniversário

BBC

Burocratas franceses se recusaram a alterar a certidão de óbito da pessoa mais velha já registrada na história após acusações de fraude na identidade dela. A dúvida foi levantada por pesquisadores russos.

Jeanne Calment morreu em 1997 aos 122 anos, mas uma publicação recente defendeu que ela, na verdade, faleceu nos anos 1930.

Segundo os russos, após a morte, a filha de Jeanne teria assumido a identidade dela para evitar pagar impostos sobre a herança.

Mas um outro grupo de pesquisadores, da França, refuta a acusação afirmando que a idade de Jeanne é “bem documentada”.

Quais são os argumentos dos russos?

Os pesquisadores russos Velery Novoselov e Nikolay Zak expuseram detalhes de seus argumentos em uma publicação no periódico Rejuvenation Research em dezembro.nullTalvez também te interesse

Segundo eles, a Jeanne real teria morrido em 1934 aos 59 anos, tendo sua identidade assumida pela filha Yvonne, que então morreu em 1997 aos 99.

Os autores da publicação mencionaram documentos oficiais que apontariam cores de olhos diferentes de Jeanne em épocas diferentes – indicando que não se trataria da mesma pessoa.

Os russos também destacaram que o prefeito da cidade de mulher já comentou que ela aparentava muito jovem para sua idade durante uma visita no aniversário de 100 anos dela.

Calment na cadeira em seu 120º aniversário, ao lado de um homem sorrindo e segurando uma fatia de bolo
Image captionPesquisadores russos dizem que Calment, na foto retratada em comemoração de 120º aniversário, na verdade morreu nos anos 30

E o que dizem os franceses?

Mas veio, então, outra publicação, de autoria de pesquisadores franceses, com o título The real facts supporting Jeanne Calment as the oldest ever human (Os fatos reais provando que Jeanne Calment foi a pessoa mais velha da história, em tradução livre).

Nela, os franceses disseram que os argumentos dos colegas russos eram baseados em “fatos inexatos”.

Eles incluíram na equipe Jean-Marie Robine, um especialista em pessoas centenárias que entrevistou Jeanne nos anos 1990.

Ele usou dados recentes e antigos para validar a identidade da mulher, chegando à conclusão de que “não houve nem uma fraude fiscal nem falsidade ideológica”.

Das mais de 10 milhões de pessoas que viveram até 100 anos, a probabilidade de alguém chegar à idade de Calment é “certamente pequena, mas isso está longe de tornar Calment uma impossibilidade estatística”, defendeu o documento.

Após a publicação, a promotoria de Tarascon, uma comuna na França, rejeitou na quarta-feira (17/09) a possibilidade de alterar a certidão de óbito de Calment.

Quem foi Jeanne Calment – segundo a versão francesa

Nascida em 1875 em Arles, na França, Calment começou a atrair atenção internacional nos anos 90, já com idade avançada.

Com personalidade animada, ela gostava dos holofotes, afirmando “aguardo a morte e os jornalistas” na véspera de seu aniversário de 120 anos.

Calment também era famosa por fumar e por seu gosto por vinho do porto e chocolate.

Ela contava ainda que conheceu Vincent Van Gogh quando o pintor comprou tinta de seu tio em Arles em 1888, descrevendo o artista como “feio como o pecado” e “de caráter horrível”.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.