Ucrânia: Von der Leyen diz que ataque russo terá resposta alinhada e rápida dos aliados
  • piramide

Correio do Pantanal

15 fev 2022 às 21:58 hs
Ucrânia: Von der Leyen diz que ataque russo terá resposta alinhada e rápida dos aliados

Presidente da Comissão Europeia frisa que as sanções contra Moscovo começarão pela “parte superior da escada”.

Ucrânia: Von der Leyen diz que ataque russo terá resposta alinhada e rápida dos aliados
© EPA/JOHANNA GERON / POOL

DN/Lusa15 Fevereiro 2022 — 23:26

Apresidente da Comissão Europeia disse esta terça-feira que a resposta dos aliados se a Rússia agredir a Ucrânia estará “totalmente alinhada e será rápida”, acrescentando que as sanções contra Moscovo começarão pela “parte superior da escala”.

Ursula Von der Leyen fez a afirmação numa mensagem publicada na sua conta oficial na rede social Twitter, na qual informou sobre um telefonema que manteve com o primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, com quem falou sobre “os últimos acontecimentos em torno da Ucrânia”.

“Reafirmámos que a nossa resposta comum a qualquer nova agressão russa estará totalmente alinhada e será rápida. As sanções começarão na parte superior da escada”, escreveu.

A presidente da Comissão Europeia também falou sobre o mesmo assunto com o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, com quem a União Europeia está “a coordenar, em conjunto com os EUA e o Canadá, as sanções em caso de uma maior agressão russa”, segundo escreveu noutro tweet.

Um porta-voz de Downing Street, residência oficial do primeiro-ministro britânico, disse que ambas as partes devem continuar a trabalhar para “preparar um conjunto de medidas económicas que castiguem a Rússia se esta violar a soberania da Ucrânia”.

Segundo o porta-voz, Von der Leyen e Johnson estiveram de acordo que “o mundo deve manter-se vigilante nas próximas horas e dias”, sobre a situação na Ucrânia.

No mesmo sentido, o presidente dos EUA, Joe Biden, disse que ainda é “claramente possível” que a Rússia invada a Ucrânia, depois de Moscovo anunciar a retirada de algumas unidades militares.

Num discurso a partir da Casa Branca, Biden disse que o seu Governo “ainda não confirmou” a alegada retirada de unidades russas da fronteira com a Ucrânia, como anunciado esta terça-feira pelo Kremlin.

A questão vai marcar a reunião de dois dias dos ministros da Defesa da NATO que começa na quarta-feira em Bruxelas.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.