Secretária de saúde de cidade do interior de MS faz ‘súplica’ após estoque de ‘kit de intubação’ zerar

Correio do Pantanal

20 mar 2021 às 20:53 hs
Secretária de saúde de cidade do interior de MS faz ‘súplica’ após estoque de ‘kit de intubação’ zerar

A secretária de saúde de São Gabriel do Oeste (MS), Francine Basso, disse que vai recorrer ao Ministério da Saúde para conseguir ajuda. A diretora do HRMS informou que o estoque dos medicamentos que compõem o ‘kit intubação’ durará apenas pelos próximos 10 dias.

Por José Câmara, G1 MS

20/03/2021 19h04  Atualizado há 2 horas


Diretora do HRMS informou que tem estoque dos medicamentos do "kit intubação" só para os próximos 10 dias — Foto: HRMS/Divulgação

Diretora do HRMS informou que tem estoque dos medicamentos do “kit intubação” só para os próximos 10 dias — Foto: HRMS/Divulgaçãohttps://b072a08321a35015c545b8422047a300.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

De acordo com a secretária de Saúde do município de São Gabriel do Oeste (MS), Fraciane Basso, a cidade não possui mais nenhum “kit intubação”, que são medicamentos insubstituíveis usados para intubar pacientes graves da Covid-19 e outras patologias. A secretária informou que está fazendo “súplica para o fornecimento de medicações para o município”.

Francine Basso reforçou neste sábado (20) que, “o município não possui leitos de UTI instalados, possui leitos de suporte ventilatório e neste momento está superlotado”.

A secretária também explicou que o estoque de medicamentos para o uso em pacientes que precisam dos leitos de suporte ventilatório está abaixo do limite. “Nós não temos medicação!”, enfatizou Francine Basso.

A secretária de saúde de São Gabriel do Oeste (MS), a 140 km de Campo Grande, disse que “a súplica é a nível de Ministério da Saúde”. O G1 procurou o Ministério da Saúde para saber sobre a situação que acomete os pacientes que necessitam do “kit intubação” no município sul-mato-grossense, mas até a publicação da reportagem não recebemos retorno do órgão.

“Nós precisamos receber essas medicações, para que nos sejam dadas as condições para continuar tentando salvar essas vidas. É um alerta real, precisamos de reabastecimento dos estoques imediatamente”, reforçou Francine Basso.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

O secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, explicou que os medicamentos que compõe o “kit intubação” estão sendo remanejados entre hospitais de Mato Grosso do Sul, a fim de amenizar a situação.

A falta do “kit intubação” está afetando outros hospitais de Mato Grosso do Sul. O Hospital Regional (HRMS), referência no tratamento da Covid-19 no estado, já vem demostrando sinais da falta dos medicamentos. Segundo a diretora-presidente da instituição, Rosana Leite, o HRMS possui estoque dos medicamentos do “kit intubação” para apenas os próximos 10 dias.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: