Pai acusado de tentar estuprar a filha em Coxim ganha liberdade e tia vai cuidar da menina

Correio do Pantanal

1 jun 2021 às 21:34 hs
Pai acusado de tentar estuprar a filha em Coxim ganha liberdade e tia vai cuidar da menina

Sheila ForatoImprimirFoto: Imagem ilustrativa

O pai acusado de tentar estuprar a filha na semana passada em Coxim já ganhou liberdade. Na mesma decisão, o juiz de plantão, Juliano Luiz Pereira, determinou que a menina de 15 anos fique aos cuidados da tia, até que o caso seja totalmente esclarecido.

Na DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher) o homem de 44 anos negou as acusações, apesar de constar no boletim da Polícia Militar que ele teria confessado os crimes durante a prisão, na noite de sexta-feira (28). A adolescente disse a tia que ele a apalpava há três anos, desde que ela começou a ficar mocinha e na noite da prisão tentou manter relação sexual.

Segundo a defesa do acusado, feita pelo criminalista Cleidomar Furtado, no laudo pericial consta que a adolescente é virgem e que não existia vestígios de conjunção carnal ou ato libidinoso. Ainda de acordo com o advogado, o exame constatou lesão de grau leve no antebraço da filha, que teria sido resultado de um corretivo aplicado pelo pai.

Furtado assumiu a defesa nesta segunda-feira (31) e pediu cautela aqueles que estão fazendo linchamento social do acusado, principalmente nas redes sociais, uma vez que, por enquanto, não existem provas de que o acusado tenha praticado os crimes citados. O processo segue em andamento na DAM.

Apesar de ter sido colocado em liberdade, o pai vai ter de usar tornozeleira eletrônica e permanecer em casa, podendo se ausentar de segunda a sexta-feira, das 5h40 às 17h20, para trabalhar, estudar ou fazer algum tratamento médico, mediante comprovação à Justiça. Ele tem ainda que manter distância mínima de 500 metros da filha.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.