O COMANDANTE DO 47º BATALHÃO DE INFANTARIA FALA SOBRE A CRIAÇÃO DO MUSEU GUERREIRO PANTANEIRO EM COXIM.

Correio do Pantanal

21 jul 2022 às 11:46 hs
O COMANDANTE DO 47º BATALHÃO DE INFANTARIA FALA SOBRE A CRIAÇÃO DO MUSEU GUERREIRO PANTANEIRO EM COXIM.

O coronel Wanderlino Moreno Junior, comandante do 47º Batalhão de Infantaria, inicia os trabalhos de consolidação do Museu Militar do Guerreiro Pantaneiro na cidade de Coxim.

O projeto está sendo desenvolvido pelo Batalhão em parceria com o Parque Temático do Pantanal, na figura de José Alves Branco, o Zé Português.

A intenção do comando do 47º BI é criar um espaço voltado à valorização da cultura por meio do estabelecimento de um Museu Militar na cidade do Pé de Cedro.

A estrutura do ambiente atenderá a evolução histórica da região, do Exército Brasileiro e do Batalhão.

Segundo o coronel Wanderlino, o museu será estruturado num ambiente central, composto por salas temáticas.

A primeira sala abordará a temática das Entradas, Bandeiras e Moções. Neste espaço, a figura do Sertanista Domingos Gomes Beliago será destacada como fundador do Arraial do Beliago, embrião da nossa querida Coxim.

O segundo ambiente será destinado à formação do Exército Brasileiro, tendo ênfase a Batalha dos Guararapes, ocorrida em 1648, sendo o marco da criação do Exército na expulsão dos invasores holandeses do Nordeste brasileiro.

O terceiro espaço será uma homenagem à figura impar da História Nacional que integrou parcela de nosso território por meio de redes telegráficas. O espaço Rondon mostrará a epopeia do Marechal Candido Rondon no lançamento de telégrafos e na exploração do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Neste ambiente, o explorador, pacificador e geógrafo Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon que ficou conhecido pelo lema “Matar nunca, morrer se preciso for”, será homenageado em sua  dimensão pacificadora materializada pela  defesa e proteção aos índios.

A quarta sala valorizará o bioma Pantanal com a utilização de uma experiência sensorial por meio da utilização de plotagens em 3D, emprego de meios sonoros e representações da fauna e flora pantaneira.

As duas ultimas salas serão destinadas ao histórico do 47º Batalhão de Infantaria, sendo exposta fotografias, equipamentos, uniformes que irão demonstrar a evolução da Unidade Militar. As participações do Guerreiro Pantaneiro na Missão de Estabilização do Haiti, no contexto das ações desenvolvidas pela Organização das Nações Unidas serão contempladas em objetos, fotos e lembranças dos militares que participaram desta nobre missão.

Os encantos do Museu Militar do Guerreiro Pantaneiro não terminam em seu ambiente central. Ao contrário, ao sair do espaço confinado, o visitante abordará o Recanto Pantaneiro. Esse espaço bucólico representará o bioma Pantanal com peças feitas em barro, representando espécies da fauna local, com um lago e espécies da flora.
Outra atração marcante do Museu Recanto Pantaneira será o monumento de criação do Exército Brasileiro. No dispositivo central do espaço geográfico será construída uma replica do símbolo do brasão do Exército Brasileiro, tendo ao centro uma escultura das três raças (brancos, negros e índios) que lutaram em Guararapes que farão a guarda do mastro para o hasteamento da Bandeira Nacional.
Uma biblioteca será instalada no ambiente, tendo exemplares fornecidos pela Biblioteca do Exército. A intenção é disponibilizar um ambiente favorável ao desenvolvimento da leitura de obras de qualidade que abordem temas relevantes da História do Brasil.
Cabe ressaltar que todos os recursos financeiros aplicados no projeto são de responsabilidade do 47º Batalhão de Infantaria que por meio de manobra patrimonial assumiu uma área que pertencia a Força Aérea Brasileira e que estava sem utilização.
O comando do 47º BI desenvolve um esforço continuo para desenvolver a cultura na cidade de Coxim, tendo por finalidade contribuir para o fortalecimento da sociedade local.
A data prevista para a inauguração do Museu Militar Guerreiro Pantaneiro será no dia 15 de novembro, data que celebramos a Proclamação da República, ou seja, o fim do regime monárquico e a instauração da república no Brasil.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.