17 fev 2019 às 07:23 hs
Militar do Exército mata bandidos após ter arma apontada para o peito durante assalto em Campo Grande

Por G1 MS

Polícia no local onde suspeitos foram mortos — Foto: Reprodução/TV MorenaPolícia no local onde suspeitos foram mortos — Foto: Reprodução/TV Morena

Polícia no local onde suspeitos foram mortos — Foto: Reprodução/TV Morena

Dois suspeitos de assalto foram mortos por um sargento do Exército, de 42 anos, na noite de quinta-feira (14), no bairro Manoel Taveira, em Campo Grande. O militar contou à polícia que seguia a pé para a casa dele quando foi rendido, ficou com arma apontada para o peito, mas conseguiu sacar a própria pistola e então atirou.

Segundo informações do boletim de ocorrência, o militar fechou a farmácia da esposa dele, saiu de lá com o dinheiro do caixa e seguiu a pé para a casa. No caminho, percebeu que estava sendo seguido por dois suspeitos em uma moto, entrou em uma padaria e depois continuou o trajeto.

O sargento voltou a ver os suspeitos e em um lugar escuro e sem pessoas próximas, foi abordado por trás pelos bandidos.

Na versão do militar à polícia, o garupa da moto apontou a arma para o peito dele e pediu o celular e a carteira. Ele entregou o telefone e o assaltante insistiu na carteira. Ao mencionar que iria pegar o objeto, o sargento conseguiu sacar a pistola e atirou no bandido.

Conforme o registro policial, o piloto da moto fez menção que fosse sacar uma arma e o militar então também atirou nele. Os dois ainda seguiram por alguns metros em na moto e caíram com a arma perto.

O sargento tirou a arma de perto dos suspeitos e chamou o socorro, no entanto, eles morreram antes. O militar ficou no local durante todo o procedimento policial.

Um dos mortos foi identificado como Bryan do Carmo Coelho da Silva, de 18 anos, e o outro não portava documentos. Um rapaz de 18 anos foi autuado por vilipêndio à cadáver porque estava filmando os procedimentos policiais, inclusive os corpos.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.