7 nov 2018 às 14:22 hs
Caso Daniel: Suspeito de matar jogador presta depoimento à Polícia Civil no Paraná

Por G1 PR — Curitiba


Edison Luiz Brittes Júnior, suspeito de matar o jogador Daniel — Foto: Reprodução/ RPC Curitiba
Edison Luiz Brittes Júnior, suspeito de matar o jogador Daniel — Foto: Reprodução/ RPC Curitiba

O empresário Edison Brittes Júnior, suspeito de matar o jogador Daniel Corrêia Freitas, de 24 anos, está prestando depoimento à Polícia Civil nesta quarta-feira (7), em São José dos Pinhais, na Região de Curitiba.

O interrogatório começou às 10h e foi interrompido por volta das 12h30 para o almoço. A previsão é a de que o trabalho seja retomado na sequência.

Edison Júnior, de 38 anos, está preso. Ele confessou em entrevista à RPC Curitiba que matou o Daniel, sob descontrole emocional, porque o jogador tentou estuprar a mulher dele, Cristiana Brittes, de 35 anos.

Ela, que também está presa junto com a filha, Allana Brittes, de 18 anos, disse à polícia que acordou com o jogador de cueca em cima dela. O delegado da Polícia Civil de São José dos Pinhais, Amadeu Trevisan, porém, acredita que a família está mentindo e que não houve tentativa de estupro.

Segundo Trevisan, outras testemunhas foram ouvidas e disseram não ter ouvido gritos de Cristiana, conforme relatou a família Brittes à polícia. Édison, Allana e Cristiana foram indiciados por homicídio qualificado e coação de testemunhas.

Empresário Edison Júnior, de 38 anos, a esposa dele Cristiana Brittes, de 35 anos, e a filha do casal Allana Brittes, de 18 anos, estão presos temporariamente — Foto: Reprodução/TV Globo
Empresário Edison Júnior, de 38 anos, a esposa dele Cristiana Brittes, de 35 anos, e a filha do casal Allana Brittes, de 18 anos, estão presos temporariamente — Foto: Reprodução/TV Globo

Entenda o caso

Tudo ocorreu depois de uma festa de aniversário de 18 anos da filha do casal, Allana Brittes, em que Daniel também estava, em uma casa noturna de Curitiba. A festa continuou na manhã do dia 27, na casa da família.

Daniel, segundo a Polícia Civil, foi espancado na casa e, depois, levado para um matagal, onde o corpo dele foi encontrado. O jogador foi encontrado com o órgão sexual decepado.

O jogador foi encontrado com o órgão sexual decepado — Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net
O jogador foi encontrado com o órgão sexual decepado — Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net

A polícia ouviu Cristiana e Allana na terça-feira (6). No depoimento, Cristiana disse que acordou com o jogador deitado sobre ela de cueca e que, então, começou a gritar assustada. “Ele dizia: ‘Calma, é o Daniel'”, contou.

Ela disse que “excitado”, Daniel esfregava o pênis, que estava para fora da cueca, pelo corpo dela. A mulher de Edison relatou ainda que, diante dos pedidos de socorro, o marido foi o primeiro a entrar no quarto, depois de arrombar a porta.

No depoimento, Allana relatou ter ido ao quarto do casal depois de ouvir os gritos e encontrado o pai segurando Daniel pelo pescoço, “como se o enforcasse”. A filha relatou à polícia que a mãe disse a ela que Daniel tinha tentado estuprá-la.

Allana disse ainda que viu quando Edison Júnior colocou o carro de ré, próximo de Daniel, e abriu o porta-malas. Nesse momento, ela afirmou ter visto o jogador “todo machucado e ensanguentado”.

Daniel chegou a enviar para um amigo uma foto na cama, ao lado de Cristiana – que estava, aparentemente, dormindo. O jogador também disse ao amigo que teve relação sexual com ela.

Daniel trocou mensagens com amigo momentos antes do crime — Foto: Reprodução/RPC
Daniel trocou mensagens com amigo momentos antes do crime — Foto: Reprodução/RPC

Depois do assassinato

Dois dias depois da morte de Daniel, Edison Júnior ligou para dar os pêsames à mãe do jogador, segundo o advogado de defesa da família do jogador. Allana também trocou mensagens via WhatsApp com a mãe e com a tia do jogador de futebol um dia depois do crime.

Questionada pela família onde estaria Daniel, Allana respondeu que não sabia dele, que não houve briga na casa dela e que o jogador foi embora, sozinho, por volta das 8h da manhã de sábado. “Ele só deu tchau, levantou e foi embora”, dizia a mensagem.

Suspeita troca mensagens com a família do jogador Daniel um dia após o crime — Foto: Reprodução
Suspeita troca mensagens com a família do jogador Daniel um dia após o crime — Foto: Reprodução

Outra gravação, obtida com exclusividade pela RPC Curitibamostra uma ligação feita por Edison Brittes Júnior a um amigo do jogador.

“Que tragédia. triste, muito triste. Mas a gente… pensa em uma forma de a gente poder ajudar e vamos fazer de tudo pra poder ajudar vocês também, dizia Edison Júnior.

Corpo de Daniel foi encontrado em mata próxima a uma estrada rural de São José dos Pinhais — Foto: Reprodução/RPC
Corpo de Daniel foi encontrado em mata próxima a uma estrada rural de São José dos Pinhais — Foto: Reprodução/RPC

Daniel

Daniel Corrêa Freitas nasceu em Juiz de Fora (MG), e jogou pelo Coritiba, em 2017.

Ele estava emprestado pelo São Paulo ao São Bento, equipe que disputa a Série B do Campeonato Brasileiro. O jogador foi revelado pelo Cruzeiro e também jogou pelo Botafogo e pela Ponte Preta.

O corpo dele foi velado e enterrado em Conselheiro Lafaiete (MG), cidade onde mora a família

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.