23 maio 2017 às 17:02 hs
122ª Festa do Divino Espírito Santo – Coxim/MS

As festividades do Divino Espírito Santo são provenientes de estados alemães onde, inicialmente, foram praticadas durante a dinastia dos Othons. Seu objetivo era arrecadar donativos destinados aos pobres nos anos de penúria e, como os invocantes eram reis, os festejos conservaram os aspectos da realeza mantendo seus símbolos: a COROA, o CETRO e a BANDEIRA.

No Século XIV, com uma celebração estabelecida pela Rainha Isabel, por ocasião da construção da igreja do Espírito Santo, na cidade de Alenquer, as festividades chegaram a Portugal, onde a devoção se difundiu rapidamente e tornou-se uma das mais intensas e populares. Por isso, chegou ao Brasil com os primeiros colonizadores e se espalhou por todo o território nacional.

No Mato Grosso do Sul, a manifestação de Coxim é a mais antiga e importante e, neste ano, comemora-se a 122ª Festa do Divino. Há relatos, porém, que em 1874 esta festa já era comemorada na pequena vila de Coxim, com presença religiosa de Corumbá, tornando a tradição local ainda mais antiga.

As festividades se iniciam sempre no primeiro Domingo de Maio, com a Missa solene realizada na Catedral São José, quando há posse dos novos festeiros, que são três casais: O festeiro-Mor, responsável pela Coroa, O Capitão do Mastro, responsável pelo Cetro, e o Alferes, responsável pela Bandeira.

Após a Missa, um churrasco de confraternização marca a saída da bandeira que irá visitar as residências, tal qual a música assinala: “Os devotos do Divino vão abrir sua morada…”

A bandeira percorre casas, estabelecimento comerciais e fazendas. Indo, muitas vezes, além do município em visita a outras comunidades. Nestas peregrinações, o Alferes da Bandeira é acompanhado pelos “Foliões da Bandeira”, trio constituído por um violeiro, um sanfoneiro e um taroleiro.

A festividade é acompanhada de uma extensa programação religiosa, social e cultural que acontece no Salão Paroquial São José, com grande participação da comunidade. Nessa ocasião, há praça de alimentação com pratos típicos da região, brinquedos para as crianças, show de prêmios, apresentações artísticas e culturais, atraindo uma multidão de devotos.

A novena tem início com a alvorada que ocorre às 06 h da manhã, em frente à Residência Episcopal e de onde parte uma caminhada até aq Catedral São José para a celebração das missas da novena. A cada dia, uma categoria profissional é homenageada. Há ainda apresentação de artesanato religioso e regional e o show de artistas locais que dão um toque especial à Festa do Divino, a mais autêntica manifestação popular religiosa de coxim/MS.

Esta festa também é um patrimônio cultural, cuja responsabilidade de preservação é de competência compartilhada de gestores públicos, da comunidade e da Igreja, que assumem o compromisso de continuar a escrever a história deste povo que tem na festa, além da forte expressão local, a afirmação da fé e a renovação dos dons emanados pelo Espírito Santo, que são sete: SABEDORIA, ENTENDIMENTO, CONSELHO, FORTALEZA, CIÊNCIA, PIEDADE E TEMOR DE DEUS. As referidas dádivas são representadas nas missas pela sete velas do candelabro, as quais estão acesas durante a vigência da novena, para a difusão desses dons à comunidade.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.