MS tem pior semana da pandemia de Covid-19, com recordes de mortes

Correio do Pantanal

21 mar 2021 às 23:11 hs
MS tem pior semana da pandemia de Covid-19, com recordes de mortes

Estado também bateu o recorde no número de pessoas internadas

 20/03/2021 – 06h49

Campo Grande

MS tem pior semana da pandemia de Covid-19 (Foto: Divulgação )

Apesar do Governo do Estado ter adotado uma série de medidas de combate a Covid-19 e estar liderando a aplicação das vacinas em nível nacional, Mato Grosso do Sul teve sua pior semana em relação a pandemia do coronavírus, com recordes de mortes e pessoas internadas devido a doença.

De segunda (15) até sexta-feira (19) foram registrados 5.661 casos novos de Covid no Estado, com 162 novas mortes neste período. O recorde de óbitos desde o começo da pandemia ocorreu na quarta-feira (17) com 42 (mortes) notificadas em apenas um dia. Trata-se da mesma quantidade de vidas perdidas para a dengue em todo o ano de 2020. 

“Até nesta sexta-feira (19) já se superou todas as mortes de fevereiro, mesmo faltando ainda 12 dias para acabar o mês (março)”, constatou o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende.  Ao todo já são 200.017 casos da doença no Estado, com 3.775 óbitos, desde o começo da pandemia.

Outros dados preocupantes se referem ao recorde de pessoas internadas nos hospitais do Estado. Na segunda-feira (15) já se chegou ao patamar mais elevado da pandemia, com 832 pessoas, que seguiu para números maiores ao longo da semana, com 893 na terça-feira (16), 921 na quarta-feira (17), 956 na quinta, chegando a 968 (internados) na sexta-feira (19).

A lotação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) no Sistema Único de Saúde (SUS) também gerou preocupação das autoridades públicas e sanitárias, como a macrorregião de Campo Grande que chegou a 107% de ocupação na quinta-feira (18).

Já Corumbá teve dois dias seguidos (segunda e terça) com 105% (ocupação). Dourados teve os piores números na quinta e sexta, com 98% de ocupação. A macrorregião de Três Lagoas chegou a 100% na terça-feira (16), reduziu um dia depois (quarta) para 78% e nos dois últimos dias da semana ficou acima de 90%.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: