Morreram 897 pessoas com covid-19 nas últimas 24 horas em França

Correio do Pantanal

27 mar 2021 às 16:35 hs
Morreram 897 pessoas com covid-19 nas últimas 24 horas em França
Números da pandemia continuam a agravar-se no país
Números da pandemia continuam a agravar-se no paísFoto: AFP

JN/AgênciasOntem às 19:45

Nas últimas 24 horas, a França registou 303 mortos nos hospitais e 594 nos lares, um número atualizado pelas autoridades sanitárias duas vezes por semana, fazendo com que o total de óbitos no país seja já de 94 275.

Os números da epidemia continuam a agravar-se em França com 41 869 novos casos registados desde quinta-feira, acumulando assim 4 465 956 casos positivos desde o início da pandemia, segundo os dados divulgados esta sexta-feira pelas autoridades sanitárias gaulesas.

Este é o segundo dia consecutivo desde novembro em que o número de casos detetados se mantém acima dos 40 mil.

O problema que inquieta atualmente as autoridades francesas são as escolas, já que mais de 3200 turmas foram suspensas e há 138 escolas fechadas devido à covid-19, especialmente na região parisiense.

O ministro da Educação, Jean-Michel Blanquer, anunciou esta sexta-feira que os professores vão começar a ser vacinados até ao final de abril.

De forma a travar esta progressão no período da Páscoa, as autoridades francesas vão instalar controlos mais apertados a partir desta sexta-feira nas estradas, gares e aeroportos para assegurar que só os habitantes só se estão a deslocar por razões essenciais.

Há atualmente 27 242 pessoas internadas nos hospitais devido ao vírus e 4766 desses pacientes estão em unidades de cuidados intensivos, mais 57 do que na véspera.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2 756 395 mortos no mundo, resultantes de mais de 125,4 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.Partilhe este artigo no Facebook

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.