Jovem negro abordado por policial em estacionamento no DF era procurado por tráfico de drogas
  • piramide

Correio do Pantanal

8 ago 2021 às 21:41 hs
Jovem negro abordado por policial em estacionamento no DF era procurado por tráfico de drogas

Emerson Adriano Nunes de Castro foi preso enquanto tentava fazer ocorrência contra servidor, segundo Polícia Civil. G1 encontrou mandado de prisão em aberto no nome do rapaz.

Por G1 DF

Jovem negro é abordado por suposto policial em supermercado no DF

Jovem negro é abordado por suposto policial em supermercado no DFhttps://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

O jovem negro que foi abordado por um policial no estacionamento de um supermercado, na tarde de sábado (7), na Asa Norte, em Brasília, era procurado por tráfico de drogas. Emerson Adriano Nunes de Castro, de 22 anos, foi preso ao tentar registrar uma ocorrência contra o homem que o abordou, na 5ª Delegacia de Polícia, na região central da capital.

A informação foi confirmada pela corporação na noite deste domingo (8). O G1 também encontrou um mandado de prisão preventiva em nome de Emerson, expedido em maio deste ano (veja mais abaixo). Ainda de acordo com a Polícia Civil, o homem que abordou o jovem é um policial federal.

A abordagem foi gravada por testemunhas (assista acima). No vídeo, o servidor disse que o rapaz estava ameaçando clientes do estabelecimento. O jovem negou e alegou ser vítima de preconceito.

Tráfico de drogas

Mandado de prisão contra Emerson Adriano Nunes de Castro — Foto: CNJ/Reprodução

Mandado de prisão contra Emerson Adriano Nunes de Castro — Foto: CNJ/Reprodução

Emerson foi preso em flagrante em outubro do ano passado, em uma ação da 4ª Delegacia de Polícia, no Guará. À ocasião, a Justiça concedeu liberdade provisória ao rapaz, por ser réu primário. No entanto, ele tinha que obedecer às seguintes restrições:

  • Proibição de ausentar-se do Distrito Federal por mais de 30 dias, a não ser que autorizado pela Justiça;
  • Proibição de mudança de endereço sem comunicação do Juízo que o processará;
  • Comparecer a todos os atos do processo para os quais for intimado.

Em maio deste ano, foi determinada a prisão preventiva de Emerson. Segundo a decisão, ele não foi encontrado nos endereços que forneceu à Justiça, nem compareceu aos autos do processo.

Abordagem em estacionamento

Abordagem de suposto policial a jovem negro no DF — Foto: Reprodução

Abordagem de suposto policial a jovem negro no DF — Foto: Reprodução

Nas imagens da abordagem, o suposto policial disse que o rapaz estava ameaçando clientes do estabelecimento. O jovem negou, afirmou que apenas pedia ajuda no local e chorou. Após a chegada das testemunhas, o homem devolveu os documentos do rapaz e se afastou.

Emerson disse que veio de Fortaleza (CE) para Brasília recentemente e que costuma ir com a esposa grávida, também de 22 anos, ao estacionamento do supermercado, para pedir ajuda. Os dois estão desempregados e moram em uma invasão na região.https://e420f1d9630a2ea70225fe48d8320197.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

O rapaz afirmou que, antes de ser abordado, havia oferecido ajuda para carregar as compras de uma cliente, que negou o serviço. Ele alegou que, após a negativa, saiu de perto com a cabeça baixa e que, em seguida, o suposto policial passou a encará-lo. Emerson afirma que encarou de volta.

“Aí ele puxou uma pistola e veio para cima de mim. Disse: ‘Eu não quero você aqui, você está intimidando os outros’. Abriu minha mochila e pegou meus documentos. Queria me levar pra delegacia, sem eu ter feito nada. Pensei que ia morrer”, disse o rapaz.

Após a chegada das testemunhas que gravaram o vídeo, o suposto policial devolveu os documentos e liberou o jovem. Ao ser questionado por Emerson, ele negou que tenha sido inibido pelas imagens e que tentava intimidá-lo.

“Emerson, se não tem nada, ‘tá’ tudo certo. Para alguém que precisar da sua ajuda, a pessoa te pede. Tá joia? Agora, eu vou conferir seu documento. Você falou que trabalha na padaria, ótimo. Eu moro lá do seu lado. Aí a gente pega, e depois vai conversar”, diz o homem na gravação.

Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.