12 ago 2017 às 06:22 hs
Processo sobre supostos crimes de corrupção em MS será analisado pelo STJ

Conjuntura

Juiz Carlos Alberto Garcete de Almeida determinou o envio do processo que apura crimes de corrupção no Estado ao Superior Tribunal de Justiça

Campo Grande
Vista do prédio do STJ em Brasília (Foto: Divulgação )

O juiz Carlos Alberto Garcete de Almeida determinou o envio do processo que apura crimes de corrupção envolvendo empresários e integrantes do governo de Mato Grosso do Sul para o STJ (Superior Tribunal de Justiça). O magistrado entendeu que as denúncias envolvem o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), que tem foro privilegiado, informa o portal de notícias G1.

A assessoria de imprensa do governo do estado informou que Reinaldo Azambuja está tranquilo em relação à possível investigação no STJ porque não cometeu nenhuma irregularidade.

Na decisão, Garcete criticou o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) e a Dedfaz (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Defraudações, Falsificações, Falimentares e Fazendários) por falta de apuração de possível envolvimento de agentes públicos.

A coordenadora do Gaeco Cristiane Mourão discordou do juiz e disse que essa investigação não é de responsabilidade do Ministério Público. Ela ainda acrescentou que o próprio Gaeco sugeriu ao juiz o envio do processo ao STJ.

As denúncias foram feitas pelos donos do frigorífico Braz Peli que gravaram o pagamento de propina ao então chefe da Casa Civil Sérgio de Paula.

Assim que chegar ao STJ, o ministro relator encaminha o processo à PGR (Procuradoria-Geral da República). O caso será analisado por um subprocurador que poderá ou não oferecer a denúncia.

O juiz ainda determinou o desbloqueio deos veículos, contas bancárias e devolução de um HD apreendido.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.