12 out 2017 às 05:37 hs
PDT planeja trazer Ciro Gomes para reforçar ato de filiação de Odilon

Juiz aposentado deve assinar ficha de filiação ao partido em 11 de novembro

Willams Araújo

Odilon posa para fotografia com senador cassado Delcídio do Amaral (ex-PT) (Foto: Divulgação )

O PDT (Partido Democrático Trabalhista) deve fazer a filiação do juiz aposentado Odilon de Oliveira no próximo dia 11 de novembro e já lançá-lo pré-candidato ao governo de Mato Grosso do Sul, com a presença do pré-candidato do partido à Presidência da República, Ciro Gomes (PDT-CE), e de outras lideranças nacionais.

A data foi acertada no último dia 6, em uma breve reunião durante o ato de filiação do ex-deputado federal Antonio Carlos Biffi, egresso do PT, segundo nota distribuída à imprensa pelo comando regional do partido.

Estiveram rresentes na reunião, além do juiz Odilon e Biffi, o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, o presidente regional deputado Dagoberto Nogueira, o presidente de honra João Leite Schmidt e o vereador Odilon de Oliveira Junior, filho do ex-magistrado.

Em entrevista à Rádio FM UCDB, na terça-feira (10), o juiz afirmou que sua filiação vai ser mesmo em novembro e ao ser questionado sobre o percentual de chance de se filiar ao PDT, respondeu que tem 80% de possibilidade.

“Foi o primeiro partido que me procurou e a direção nacional veio aqui conversar comigo. O PDT pode atrair muitas pessoas de bem”, destacou ele, acrescentando que chegou a essa conclusão após ter feito reflexão profunda de outros partidos no Brasil.

Ainda na sexta-feira passada, no ato de filiação do ex-deputado Biffi, sob aplausos da plateia e coro de “governador”, Odilon fez uma fala rápida e lembrou do convite da direção do PDT.

“Vou me filiar a um partido político que tenha um compromisso com o povo, que tenha uma afinidade com o povo brasileiro, que queira reedificar este país, que se encontra no vale da imoralidade. Para reedificar é preciso primeiro ter um lastro por meio de princípios éticos e morais. O partido que reunir esses requisitos, com certeza, terá minha adesão. Gostaria de sublinhar que o PDT é um partido que tem afinidade com os interesses da população”, concluiu.

De acordo com os dirigentes do partido, a ideia é realizar uma grande festa da democracia para receber o ex-juiz, com a presença do pré-candidato a presidente da República, Ciro Gomes. “Combinamos que ele vem para o PDT no dia 11 de novembro. Vamos fazer uma grande festa e lá ele vai sair candidato a governador”, declarou Schmidt.

Ao se referir ao juiz, Carlos Lupi disse que coragem para enfrentar o crime organizado não é para qualquer cidadão e que o partido espera mais de Odilon. “Queremos sua coragem e competência para servir o povo de Mato Grosso do Sul como nosso futuro governador, para defender os que precisam ser defendidos, os mais pobres, mais fracos e oprimidos”, reiterou.

Dagoberto Nogueira lembrou ao juiz que ele vai se filiar em um partido sério e comprometido com a justiça social, sem envolvimento em escândalos de corrupção e com lideranças corretas. “Não temos nenhum deputado federal, senador e nem os nossos ex-ministros estão envolvidos em qualquer escândalo. Então, isso é algo muito forte no PDT”, declarou, complementando que o projeto agora é eleger Ciro Gomes presidente e Dr. Odilon governador de Mato Grosso do Sul e ampliar as bancadas estadual e federal.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.