1 fev 2019 às 00:20 hs
Muçulmanos acusam Nike de ofender Islã em solado de tênis

NOTICIAS AO MINUTO

© REUTERS/USA TODAY USPW

Nike enfrenta pressão por parte de muçulmanos para parar de vender uma de suas principais marcas de tênis: o Air Max 270.

Abaixo-assinado online criado por Saiqa Noreen pede que a marca americana retire o calçado do catálogo por ofender o islamismo. Segundo os críticos, a Nike produziu o novo Air Max 270 com parte do logotipo na sola, quando virado de cabeça para baixo, parecido com a palavra “Alá” (Deus), escrita em árabe.

“É ultrajante e chocante que a Nike permita o nome de Deus em um sapato. Isso é desrespeitoso e extremamente ofensivo para os muçulmanos e insultante ao islã. O islã ensina compaixão, bondade e justiça para com todos”, diz a petição.

Noreen descreve o ato como blasfêmia. “Certamente [o nome de Deus] será pisoteado, chutado e sujo com lama ou qualquer outra sujeira.”

A petição contava com quase 20 mil assinaturas até a publicação desta edição -a meta é chegar a 25 mil.

Segundo a Nike, o novo logotipo foi projetado para ser uma representação estilizada da marca registrada Air Max e destina-se a refletir apenas a marca Air Max. “Qualquer outro significado ou representação percebido não é intencional”, diz.

“A Nike respeita todas as religiões e levamos as preocupações dessa natureza a sério.”

Na loja oficial, os modelos da linha disponíveis custam no mínimo R$ 510.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.