6 jun 2019 às 12:08 hs
Ministro diz que recuperação do Taquari é prioridade

CORREIO DO ESTADO

Recursos federais devem chegar a R$ 100 milhões – Foto: Arquivo/Correio do Estado

A revitalização e recuperação do Rio Taquari, que se estende desde a divisa do Estado com Goiás a Corumbá, é prioridade do Ministério do Meio Ambiente e será executado em parceria com o Governo de Mato Grosso do Sul. Foi o que garantiu o ministro da pasta Ricardo Salles, ao lançar, juntamente com o presidente Jair Bolsonaro (PSL), nesta quarta-feira (5), o programa de recomposição florestal e do solo da Bacia do Alto Araguaia.

“Estive em Mato Grosso do Sul discutindo com as autoridades locais, produtores e ambientalistas o desastre do Taquari e vamos recuperá-lo com ações como as que estamos lançando aqui no Araguaia”, disse o ministro. “Muito já se falou no passado da degradação das nossas bacias e nada se fez. Muita discussão, reuniões, seminários e poucos resultados”, completou, ao assinar um acordo de cooperação com os estados de Mato Grosso e Goiás.

Ao lançar nesta quarta-feira (5), a plataforma de Licenciamento Florestal Digital (e-Florestal), como parte das ações do Estado em comemoração ao Dia do Meio Ambiente, o governador Reinaldo Azambuja enfatizou o compromisso do Governo Federal de garantir os recursos para o Rio Taquari. “Estivemos com o ministro (Ricardo Salles) e teremos uma ação efetiva de governo para intervirmos em um dos maiores desastres ambientais do país”, disse.

De acordo com o ministro de Meio Ambiente, projetos semelhantes ao lançado para a Bacia do Araguaia serão desenvolvidos nos rios São Francisco, Parnaíba e Taquari. O presidente Jair Bolsonaro afirmou que o programa de recuperação de bacias “é o maior exemplo que podemos dar ao mundo que estamos, sim, preocupados com o meio ambiente, mas também perfeitamente casados com a economia, com o que se desenvolve destas regiões”.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.