“Escutai-o”

Correio do Pantanal

25 fev 2021 às 16:19 hs
“Escutai-o”

PALAVRA – Evangelho (Mc 9,2-10)Naquele tempo, 2Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, e os levou sozinhos a um lugar à parte sobre uma alta montanha. E transfigurou-se diante deles. 3Suas roupas ficaram brilhantes e tão brancas como nenhuma lavadeira sobre a terra poderia alvejar. 4Apareceram-lhe Elias e Moisés, e estavam conversando com Jesus.  5Então Pedro tomou a palavra e disse a Jesus: “Mestre, é bom ficarmos aqui. Vamos fazer três tendas: uma para ti, outra para Moisés e outra para Elias”. 6Pedro não sabia o que dizer, pois estavam todos com muito medo. 7Então desceu uma nuvem e os encobriu com sua sombra. E da nuvem saiu uma voz: “Este é o meu Filho amado. Escutai o que ele diz!” 8E, de repente, olhando em volta, não viram mais ninguém, a não ser somente Jesus com eles. 9Ao descerem da montanha, Jesus ordenou que não contassem a ninguém o que tinham visto, até que o Filho do Homem tivesse ressuscitado dos mortos. 10Eles observaram essa ordem, mas comentavam entre si o que queria dizer “ressuscitar dos mortos”.

— Palavra da Salvação. — Glória a vós, Senhor. MENSAGEM – Aqui estamos reunidos em assembleia para ESCUTAR – a Palavra de Deus e celebrar a Eucaristia. A Escuta dessa Palavra nos revela os Planos de Deus e nos aponta o caminho a seguir para chegar à vida plena. As leituras bíblicas de hoje nos apresentam dois exemplos na CAMINHADA DA FÉ: a fé de Abraão e a fé dos Apóstolos. A 1a Leitura fala da fé de Abraão. (Gn 22,1-2.9.10-13.15-18) A narrativa faz parte das “tradições patriarcais”, sem caráter histórico. Destina-se a apresentar Abraão como MODELO DE FÉ: Ele vive numa constante ESCUTA da Palavra de Deus, aceita os apelos de Deus, e lhe responde com obediência total, mesmo oferecendo o filho Isaac. Abraão ensina a confiar em Deus, mesmo quando tudo parece cair à nossa volta, e quando os caminhos do Senhor se revelam estranhos e incompreensíveis. Sua obediência tornou-se uma fonte de vida para ele, para a sua família e para todos os povos… O sacrifício de Isaac é símbolo do sacrifício de Jesus. Isaac foi substituído por um cordeiro, Cristo é o verdadeiro Cordeiro sacrificado para a salvação do mundo. Na 2a Leitura, Paulo retoma a figura de Isaac, subindo o monte Moriá, com a lenha do sacrifício às costas, como imagem de Cristo que também sobe o monte Calvário,

carregando às costas o lenho da Cruz. (Rm 8,31-34) É um hino, em que Paulo canta entusiasmado o Amor de Deus. O fundamento de nossa fé é o amor fiel e incondicional a Deus. O Evangelho fala da fé dos Apóstolos: (Mc 9,2-10) Na caminhada para Jerusalém, o 1º Anúncio da Paixão e Morte de Jesus abalou profundamente a fé dos apóstolos. Desmoronaram seus planos de glória e de poder. Para fortalecer essa fé ainda tão frágil… Cristo tomou três deles…, subiu o Monte Tabor e “TRANSFIGUROU-SE…” Proposta de Pedro: “É bom estar aqui! Vamos fazer três tendas…” Proposta de Deus: “Este é o meu Filho amado, ESCUTAI-O!“. A transfiguração de Jesus é uma Catequese que revela aos discípulos e a nós Quem é Jesus: o FILHO AMADO DE DEUS: Um novo MOISÉS que dá ao seu povo uma NOVA LEI e através de quem Deus propõe aos homens uma NOVA ALIANÇA. As figuras de Elias e Moisés ressaltam que a Lei e as Profecias são realizadas plenamente em Jesus. O mundo se transforma quando acolhemos a voz do Pai… Em nossa caminhada para a Páscoa, somos também convidados a subir com Jesus a montanha e, na companhia dos três discípulos, viver a alegria da comunhão com ele. As dificuldades da caminhada não podem nos desanimar. No meio dos conflitos, o Pai nos mostra desde já sinais da ressurreição e do alto daquele monte ele continua a nos gritar: “Este é o meu Filho amado, ESCUTAI-O”. Não desanimemos, os Planos de Deus não conduzem ao fracasso, mas à Ressurreição, à vida definitiva, à felicidade sem fim. Vocês têm fé? O que é ter fé? O que é mesmo a fé? É apenas uma adesão da inteligência a algumas verdades, que decoramos na catequese? É muito mais… A FÉ É: É a Adesão de nossa vida a Deus… É acolher Deus que quer fazer sua história junto conosco… É fazer a vontade de Deus… (tanto no Tabor, como no Calvário) É um Dom gratuito de Deus (Não foi Abraão que tomou a iniciativa) A FÉ EXIGE: Uma Resposta da pessoa a uma Palavra, a uma Promessa… Um Serviço pronto e generoso na Obra de Deus… Uma Ruptura: Deixar a terra dos ídolos que nos prendem… e abraçar o desconhecido… (experiência de Abraão) Escutar atentamente tudo o que Jesus diz, seguindo seus passos com confiança total, mesmo nos momentos difíceis e incompreensíveis… Reconhecer esse Cristo desfigurado, presente na pessoa dos irmãos… e estender a mão para servi-los… É fácil reconhecer o Cristo transfigurado no Tabor… Mais difícil é reconhecê-lo desfigurado no Monte Calvário… Ação: Não podemos ficar no Monte… de braços cruzados…. Descer a montanha foi para os discípulos muito mais difícil do que subi-la. Pedro deseja se estabelecer no alto da montanha e ali vivenciar a vida cristã como se fosse um eterno retiro, longe do barulho das pessoas, das cidades… Um lugar ideal para viver de contemplação. Quando ouvimos a própria voz, deixamos de ouvir a voz de Deus. O seguidor de Cristo deve “descer o monte” para enfrentar o mundo e os problemas dos homens e testemunhar aos homens o dom da vida. Somos todos convidados a ser Missionários da Transfiguração… Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa – 28.02-2021

NOTÍCIAS DIOCESANAS

Encontro Diocesano de Catequese 9 horas da manhã – on line – plataforma Google Meet

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.