Dinamarca avisa que já não é seguro voar para Cabul

Correio do Pantanal

26 ago 2021 às 06:38 hs
Dinamarca avisa que já não é seguro voar para Cabul
Há muitas pessoas que esperam deixar o Afeganistão no aeroporto de Cabul
Há muitas pessoas que esperam deixar o Afeganistão no aeroporto de CabulFoto: EPA

JN/AgênciasHoje às 09:15

O ministro da Defesa da Dinamarca avisou que já não é seguro voar de e para Cabul, a capital do Afeganistão tomada pelos talibãs.

Em declarações à cadeia de televisão “TV2”, na quarta-feira, Trine Bramsen disse que havia cerca de 90 pessoas – além dos últimos soldados e diplomatas enviados para ajudar a retirar cidadãos – no último voo que deixou a capital do Afeganistão.

O governo britânico afirmou, por seu lado, que há muitas pessoas que esperam deixar o Afeganistão fora do aeroporto de Cabul, apesar dos avisos para deixarem o local, devido ao risco de um ataque suicida.

Os EUA, a Austrália e a Inglaterra disseram aos seus cidadãos para deixarem imediatamente a área.ALIADOS PEDEM A CIDADÃOS QUE SAIAM DO AEROPORTO DE CABUL DEVIDO A “AMEAÇAS TERRORISTAS”VER MAIS

O aviso surgiu depois de o Presidente norte-americano, Joe Biden, ter advertido para a ameaça de ataques por militantes ligados ao grupo Estado Islâmico.

O ministro britânico com a tutela das Forças Armadas, James Heappey, disse “BBC” que há “informações muito, muito credíveis de um ataque iminente” no aeroporto. Heappey admitiu que as pessoas estão desesperadas para partir”, acrescentando que a informação sobre esta ameaça é “mesmo muito credível” e uma real possibilidade.

O primeiro-ministro francês afirmou que o país não estará mais em condições de retirar pessoas do aeroporto de Cabul depois de sexta-feira à noite.

O anúncio de Jean Castex surge quando se aproxima a data de 31 de agosto para os EUA e aliados ocidentais saírem do Afeganistão. Milhares de pessoas têm tentado fugir da tomada do poder no Afeganistão pelos talibã, muitos através do aeroporto internacional de Cabul.

Castex disse à rádio francesa RTL: “A partir de amanhã à noite, não estaremos em condições de retirar pessoas do aeroporto de Cabul”. Mais de dois mil afegãos e centenas de franceses foram retirados por França desde o início da operação, na semana passada.

A tomada da capital pôs fim a uma presença militar estrangeira de 20 anos no Afeganistão, dos Estados Unidos e dos aliados na NATO, incluindo Portugal.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.