30 jul 2018 às 20:14 hs
Trump recebe “novo amigo” Conte e elogia política anti-imigração italiana

Presidente norte-americano defendeu que outros países europeus deviam tomar a mesma posição firme em relação às fronteiras. Trump disse ainda estar disponível para reunir com presidente iraniano “sem pré-condições”.

“Concordo muito com o que está a fazer em relação às migrações, imigração ilegal e até imigração legal”, disse o presidente norte-americano Donald Trump, ao receber o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, na Sala Oval. Na conferência de imprensa após o encontro, Trump repetiu os elogios e falou do seu “novo amigo”, dizendo que ambos se deram “muito bem desde o início” e que são ambos “outsiders” [estranhos] na política.

“Ele tomou uma posição muito firme sobre a fronteira, uma posição que poucos países adotaram. E francamente, na minha opinião, ele está a fazer o correto”, acrescentou o presidente, defendendo que outros países deviam fazer o mesmo. As declarações foram feitas ainda antes da reunião com Conte, com Trump a dizer que iriam falar de comércio.

Conte, primeiro-ministro desde junho, lidera um governo de coligação entre o Movimento 5 Estrelas (antissistema) e a Liga Norte, que tem uma forte política anti-imigração. O líder do partido, Matteo Salvini, é o ministro do Interior e tem fechado os portos italianos aos navios das organizações não-governamentais que resgatam migrantes no Mediterrâneo.

Imigração

“A Itália fartou-se da imigração ilegal”, disse Trump na conferência de imprensa, depois do encontro, reiterando que ele está disposto a fazer o shutdown do governo dos EUA se os seus planos para acabarem com a imigração ilegal não avançarem no Congresso – nomeadamente o muro na fronteira com o México. “Somos a chacota do mundo”, referiu Trump, dizendo contudo que está aberto a negociar.

O presidente norte-americano anunciou um novo diálogo estratégico com Itália, incluindo no reforço de segurança no Mediterrâneo, reconhecendo o papel de liderança de Itália na Líbia e no Norte de África. “Discutimos a necessidade de garantir a segurança da Líbia”, referiu Conte, dizendo que vai organizar uma conferência sobre a situação, que envolva todos os atores no Mediterrâneo.

Conte agradeceu a “Donald” em inglês, e apresentou as condolências pelas vítimas dos incêndios na Califórnia, mas pediu-lhe depois desculpa, dizendo que não podia renunciar ao privilégio de falar em italiano na Casa Branca. Falou de um “encontro frutuoso” e de ter sido dado “um passo em frente” para intensificar a cooperação entre os dois países. Trump também o tratou por Giuseppe.

O primeiro-ministro italiano falou nas várias coisas que unem os dois países, lembrando que tanto o seu governo como Trump foram eleitos para responder às necessidades de ambos os povos. “Estamos a provar que a mudança é possível”, referiu, dizendo que é um dos interlocutores privilegiados dos EUA na Europa.

Irão e Rússia

Trump diz estar aberto a um encontro com o presidente iraniano Hassan Rouhani para discutir o acordo nuclear, tal como já se encontrou com o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un. “Não há nada de mal numa reunião. Sem pré-condições. Se quiserem reunir-se, reunimo-nos”, afirmou, em resposta a uma das perguntas dos jornalistas presentes na Casa Branca.

“Acredito que eles eventualmente vão querer acabar por se reunir. Estou disponível para o fazer quando quiserem”, afirmou, em vésperas de serem novamente decretadas sanções ao Irão após a saída dos EUA do acordo nuclear.

Por seu lado, questionado sobre a Rússia, Conte lembra que sempre tem defendido um diálogo aberto com os russos. E que as sanções contra Moscovo não representam um fim. Trump responde que “as sanções à Rússia vão continuar como estão”.

NATO

Numa das perguntas dos jornalistas, Conte é questionado sobre a cimeira da NATO. Conte considera que a posição de Trump é “razoável” e diz partilhar a opinião do presidente norte-americano em relação à necessidade de reequilibrar os gastos de Defesa.

Trump defendeu que na cimeira da NATO, em Bruxelas, conseguiu que os países europeus se comprometessem a contribuir mais para a Defesa. “Eu serei pessoalmente o portador da mensagem e tentarei fazer que os outros também compreendam a sua posição”, afirmou Conte.

“Ele é um grande negociador”, diz Conte sobre Trump.

O presidente norte-americano devolveu-lhe o elogio quando se falava de economia. “O principal problema da economia italiana tem sido a falta de liderança. Agora, há um governo sólido”, disse Trump.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.