7 mar 2019 às 14:45 hs
Surto de H1N1 aumenta procura por produtos de prevenção em farmácias de Manaus

Por G1 AM


Aumento de casos de H1N1 no AM também faz crescer movimento em farmácias
Aumento de casos de H1N1 no AM também faz crescer movimento em farmácias

O surto do vírus H1N1, que já matou pelo menos 17 pessoas no Amazonas, é o responsável pelo aumento nas vendas de produtos de prevenção, como álcool em gel e vitamina C. Em uma rede de farmácias de Manaus, as vendas já aumentaram cerca de 35% no último mês. Máscaras que também podem evitar o contágio devem entrar nos estoques das drogarias nos próximos meses.

Nesta quarta-feira (6), a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) informou que foram notificados 301 casos da síndrome gripal grave no estado. Destes, 69 são positivos para o Vírus da Influenza A (H1N1) e 45 para Vírus Sincicial Respiratório (SRV). Os casos restantes estão sob investigação.

O boletim divulgado aponta ainda 17 mortes por H1N1, sendo 13 em Manaus, duas em Manacapuru, uma em Parintins e uma em Itacoatiara. Outros quatro óbitos foram confirmados por Vírus Sincicial Respiratório, sendo três de Manaus e um de Borba.

Para o especialistas da área da saúde, existem medidas individuais de prevenção contra o vírus H1N1 como manter as mãos higienizadas e cuidar do sistema imunológico.

“Em relação a higienização das mãos: a água e o sabão são eficazes, e uma outra opção também é o álcool em gel. Ele tem que ser A70 e com registro na Anvisa, ele consegue eliminar o vírus das mãos. É uma prevenção que você leva pra casa, pra escola, e é mais prática. Em relação a Vitamina C no corpo, ela aumenta a imunidade, então é importante, todos os dias, do pequeno ao grande, estar fazendo o uso da vitamina C”, afirmou a farmacêutica Bruna Puga.

Em Manaus, já é notável a crescente procura por produtos que podem evitar o contágio do vírus, como álcool em gel e vitamina C. Em uma rede de farmácias visitada pela Rede Amazônica, as vendas aumentaram em até 35%. Algumas unidades, inclusive, afirmaram não estarem preparadas para a demanda.

“Nem as distribuidoras estavam preparadas. Devido a esse grande aumento as distribuidoras também estão fazendo o pedido para reabastecer as nossas lojas”, afirmou a farmacêutica Tatiana Lima.

O surto da Influenza deixou muita gente em estado de alerta, como o especialista em marketing Joaquim Silva. Em entrevista à Rede Amazônica, ele falou sobre a prevenção dentro de casa.

“Eu sempre levo e deixo na bolsa da minha filha para ela levar para a escola. A gente tá ensinando ela a fazer assepsia das mãos porque a gente sabe que isso pode pegar pela saliva, pode pegar no contato, então a gente tem que orientar nossas crianças – não só elas, mas nós adultos – também a se prevenir para que isso não venha a atingir também a nossa família”, disse.

O preço da Vitamina C nas farmácias pode variar entre R$ 6 e R$ 17,50. O álcool em gel tem o preço variado entre R$ 4 e R$12. Máscaras para o rosto devem chegar nas unidades em breve.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.