25 jul 2018 às 07:29 hs
Rompimento de barragem deixa centenas de desaparecidos no Laos

Moradores buscam abrigo em cima do telhadoDireito de imagemEPA
Image captionO rompimento da barragem deixou casas submersas e forçou moradores a buscar abrigo em cima do telhado

Centenas de pessoas estão desaparecidas após o rompimento da barragem de uma represa em construção no sudeste do Laos. De acordo com a agência oficial de notícias do país, o incidente deixou vários mortos, mas o número ainda não foi divulgado. Há cerca de 6,6 mil desabrigados.

“O desastre custou várias vidas e deixou centenas de pessoas desaparecidas”, informou a agência.

A barragem da hidrelétrica Xe-Pian Xe-Namnoy se rompeu na noite de segunda-feira, na província de Attapeu, inundando seis vilarejos da região. Imagens mostram moradores ilhados em telhados de casas submersas e barcos transportando a população para locais seguros.

A represa começou a ser construída em 2013 e estava prevista para entrar em operação comercial no próximo ano.

Principal acionista do projeto, a empresa tailandesa Ratchaburi Electricity Generating Holding disse que recebeu um relatório do operador da usina informando que uma barragem de 770 metros de comprimento e 16 metros de altura tinha desmoronado.

De acordo com o comunicado, tempestades contínuas levaram “um grande volume de água” a fluir para o reservatório.

“Neste momento, a Xe-Pian Xe-Namnoy Power Company Limited e órgãos competentes estão retirando as pessoas que residem na área”, acrescenta o texto.

Imagem aérea de vilarejos inundadosDireito de imagemAFP/GETTY IMAGES
Image captionPelo menos seis vilarejos foram inundados após rompimento da barragem

Inundações deixam rastro de destruição

Um porta-voz da SK Engineering & Construction, empresa sul-coreana que também tem participação no projeto, disse à BBC que uma pequena barragem de abastecimento – não a principal barragem – foi parcialmente destruída devido a “fortes chuvas inesperadas”.

“Ainda não sabemos a causa exata, mas acreditamos que uma fração da parte superior da represa se rompeu e a água transbordou da barragem de abastecimento”, disse.

Grupos ambientalistas já haviam manifestado preocupação em relação ao programa hidrelétrico do Laos e seu potencial impacto nas comunidades e ecossistemas localizados abaixo das barragens.

O primeiro-ministro do país, Thongloun Sisoulith, cancelou sua agenda e foi para a área atingida, no distrito de Sanamxay, junto com outros representantes do governo para monitorar os trabalhos de resgate, informou a agência estatal.

As autoridades locais pediram ajuda a órgãos governamentais e outras entidades para oferecer assistência emergencial às vítimas, como roupas, alimentos, água potável e remédios.

Map locator

As ambições hidrelétricas no Laos

O governo do Laos lançou um ambicioso projeto de construção de represas para se tornar a “bateria da Ásia”. O país é cortado pelo rio Mekong e seus afluentes – cenário perfeito para energia hidrelétrica.

O país tinha 46 usinas hidrelétricas em operação e 54 em construção em 2017. Até 2020, o Laos também planeja construir mais 54 linhas de transmissão de eletricidade e 16 subestações.

O Laos exporta dois terços de sua energia hidrelétrica, e a eletricidade representa cerca de 30% de todas suas exportações.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.