30 nov 2018 às 10:49 hs
Pezão tem café com leite e pão com manteiga e tem que andar em fila indiana na prisão

Por Bom Dia Rio


Pezão passa a noite em sala especial em unidade prisional da PM em Niterói, no RJ
Pezão passa a noite em sala especial em unidade prisional da PM em Niterói, no RJ

O cardápio do café da manhã do governador Luiz Fernando, na manhã desta sexta-feira (29), na unidade prisional da Polícia Militar, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, é bem mais simples que o do dia anterior, servido em bandejas por garçons do Palácio Laranjeiras.

Na manhã desta sexta, Pezão terá à disposição café com leite e pão com manteiga, que é posto no rancho (refeitório do quartel) e onde os presos precisam se servir.

Na manhã de quinta-feira (28), quando os agentes da Polícia Federal chegaram ao Palácio Laranjeiras e surpreenderam o governador com a ordem de prisão, ele pediu que os policiais esperassem para que ele pudesse tomar o café da manhã.

Garçons do Palácio Laranjeiras servem o último café da manhã a Pezão antes de ser levado preso — Foto: Reprodução/TV Globo
Garçons do Palácio Laranjeiras servem o último café da manhã a Pezão antes de ser levado preso — Foto: Reprodução/TV Globo

Por ser governador do estado, Pezão tem direito a ficar sozinho em uma sala especial, com cama e vaso sanitário. Mas ele precisa cumprir as demais regras da prisão, como andar em fila indiana e tomar banho de sol pelo menos uma vez por dia.

Pezão chegou a unidade no fim da tarde e teve direito à refeição noturna: arroz ou macarrão, feijão, farinha, uma carne, legumes, salada, sobremesa e refresco.

Caso optasse por um lanche, Pezão teria direito a um copo de guaraná e pão com manteiga ou bolo.

Pezão é suspeito de receber R$ 40 milhões em esquema de corrupção
Pezão é suspeito de receber R$ 40 milhões em esquema de corrupção

De acordo com as investigações, o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, preso nesta quinta-feira (29), não só fez parte do esquema de corrupção de Sérgio Cabral como também desenvolveu um mecanismo próprio de desvios quando seu antecessor deixou o poder. É o que afirmam autoridades da Lava Jato mobilizadas na Operação Boca de Lobo.

Batalhão Prisional da Polícia Militar em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, onde Pezão está preso — Foto: Reprodução/ TV Globo
Batalhão Prisional da Polícia Militar em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, onde Pezão está preso — Foto: Reprodução/ TV Globo
ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.