9 jul 2019 às 07:19 hs
Operação é para “expulsar banda podre da polícia”, afirma Reinaldo

Governador disse que “minoria” é irresponsável e vai para atos ilícitos

Marta Ferreira e Leonardo Rocha

Reinaldo Azambuja comentou operação que prendeu policiais durante agenda desta manhã. (Foto: Henrique Kawaminami)Reinaldo Azambuja comentou operação que prendeu policiais durante agenda desta manhã. (Foto: Henrique Kawaminami)

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), comentou nesta manhã a ação a operação do Gaeco que cumpre, nesta segunda-feira (08), 16 mandados de prisão, entre eles dois envolvendo policiais civis. Para ele, é um trabalho para “expulsar a banda podre da polícia”.

Denominada Balcão de Negócios, a ação é consequência da investigação sobre o sumiço de cocaína na delegacia de Aquidauana, a 135 quilômetros de Campo Grande. Os dois policiais presos,  Gil Emerson Vasconcelos Santana e Paulo César dos Reis, atuam cidade pantaneira. Indagado sobre a prisão de agentes públicos o governador disse que se trata de uma ação da Corregedoria da Polícia Civil para que fiquem os “bons policiais”.

Na avaliação do chefe do Executivo, há uma minoria irresponsável, capaz de cometer ilícitos. “Esse trabalho é conjunto e dessa forma, teremos uma polícia mais forte para Mato Grosso do Sul”, declarou.

As afirmações de Azambuja foram feitas durante agenda para entrega de máquinas agrícolas, com a presença da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.