6 jan 2019 às 07:33 hs
O quanto já foi construído do muro de Trump?
Trump ao lado de um possível protótipo de muro para a fronteiraDireito de imagemGETTY IMAGES
Image captionTrump ao lado de um possível protótipo de muro para a fronteira; orçamento da obra causa um impasse no governo americano

O debate em torno da construção de um muro na fronteira sul dos EUA tem causado um impasse entre o Executivo e o Legislativo americano: o presidente Donald Trump não conseguiu que o Congresso aprovasse um orçamento de US$ 5,6 bilhões para a “grande barreira” de concreto ou aço que quer construir e, na ausência de consenso orçamentário, diversos serviços e agências governamentais tiveram de interromper suas atividades, causando o que se chama de “shutdown” – ou paralisação.

Trump diz que está disposto a ir até o fim na intenção de obter verbas para construir o muro e prometeu declarar estado de emergência nacional, alegando que a fronteira sul americana é “um desastre horrível e perigoso”.

“Farei o que tiver de ser feito”, afirmou. “Se nós tivermos de ficar paralisados por um longo período, faremos isso.”

Ele também já afirmou no Twitter que “muito do muro já foi plenamente renovado ou construído. O México vai pagar pelo muro por meio do novo tratado comercial USMCA”.

A equipe do Reality Check, programa de checagem de fatos da BBC, foi investigar para entender: essa declaração está correta? Quanto do muro já foi, de fato, construído? E o México de fato vai pagar por ele?

Promessa de campanha e impasse com o Congresso

A construção do muro na fronteira com o México é uma das principais promessas de campanha de Trump, sob a justificativa de que ajudará a conter a imigração irregular e o tráfico de drogas.

A fronteira tem 3.145 km, sendo que um terço dela já tem vários tipos de grades de proteção em Estados como Califórnia, Arizona, Novo México e Texas.

Segundo documentos obtidos pela CNN no início de 2018, autoridades disseram ao Congresso que o plano de Trump prevê 1,4 mil km de muro novo e 1,8 mil km de muro substituto, a um custo que pode alcançar US$ 33 bilhões.

Frases de Trump sobre o muro
Image captionAs declarações de Trump no Twitter sobre o muro

No momento, Trump pede ao Congresso a liberação de US$ 5,6 bilhões, mas a oposição democrata na Câmara se recusou a liberar verbas adicionais para a obra – tendo oferecido US$ 1,3 bilhão para segurança de fronteira, mas não para a construção do muro.

Como o financiamento do muro é parte de um orçamento maior que o Congresso tenta aprovar, há uma paralisação (desde 22 de dezembro) de algumas áreas do governo.

O que já existe do muro

As estimativas totais do custo do muro variam de US$ 12 bilhões a US$ 40 bilhões.

Em março passado, Trump conseguiu que o Congresso liberasse US$ 1,6 bilhão para projetos na fronteira. E a Agência Alfandegária e de Patrulha da Fronteira (CBP, na sigla em inglês) diz ter levantado dinheiro suficiente para construir 160 km de “um sistema de muro de fronteira”.

No mês seguinte, a agência substituiu cerca de 22 km de arame farpado do muro por lâminas verticais de aço na região de San Diego, 3 km de “muro primário” também na Califórnia e 32 km de “novo muro” em Santa Teresa, Novo México.

E, em dezembro de 2018, o CBP contratou um corpo de engenheiros do Exército para construir 22,5 km de “muro secundário” e até 24 km de substituições para trechos de passagem de pedestres nas localidades de San Diego, Yuma e El Centro.

Mapa mostra áreas na fronteira EUA-México onde já foi construído algum tipo de barreira
Image captionMapa mostra áreas na fronteira EUA-México onde já foi construído algum tipo de barreira

A lei aprovada pelo Congresso estipulava que o dinheiro poderia ser usado para a construção de grades primárias e secundárias, projetos e planejamento de barreiras e para aquisição de tecnologia de segurança.

O dinheiro não poderia, no entanto, ser gasto no desenvolvimento de protótipos de novos muros como alguns propostos por Trump.

O México vai pagar?

Os argumentos de Trump a respeito de como o México vai pagar pelo muro mudaram consideravelmente nos últimos meses. Durante sua campanha à Presidência, ele insistiu que o país vizinho pagaria diretamente pela construção.

“Vou construir um grande muro, e ninguém constrói um muro melhor do que eu, acredite. E vou construir de modo muito barato”, ele afirmou à época. “Vou fazer o México pagar pelo muro.”

No final do ano passado, Trump afirmou que a construção do muro daria retorno em “dois meses”.

“Alguém pode por favor explicar aos democratas que nosso país perde US$ 250 bilhões de dólares ao ano com a imigração ilegal, sem contar o terrível fluxo de drogas. Segurança de alto nível na fronteira, incluindo um muro, custa US$ 25 bilhões. Paga por si mesmo em dois meses.”

Agora, Trump argumenta que o México vai pagar por intermédio de um acordo comercial – mas os mecanismos de como isso ocorreria ainda não foram esclarecidos. Além disso, o novo acordo comercial sequer foi aprovado pelo Congresso.

Barreira com lâminas de aço na fronteira EUA-México em San DiegoDireito de imagemAFP
Image captionBarreira com lâminas de aço na fronteira EUA-México em San Diego; modelo é um dos que estão sendo usados na divisa

Trump talvez esteja querendo dizer que o novo acordo vai reduzir o deficit comercial que os EUA atualmente mantêm com o México, o que resultará em economias no longo prazo, opina Andrew Hunter, da consultoria Capital Economics.

“No entanto, há pouca relação direta entre o deficit comercial de um país e as finanças governamentais”, explica.

Uma segunda possibilidade é que o acordo estimule a atividade econômica americana e, assim, a arrecadação de impostos.

Mas, novamente, “as mudanças previstas pelo acordo são relativamente pequenas e provavelmente não terão tanto impacto”, prossegue Hunter.

Trump também levantou a ideia de impedir ou taxar as remessas que migrantes nos EUA façam a seus parentes no México – algo que geraria US$ 25 milhões por ano, segundo o Banco Central do México. Críticos afirmam, porém, que essa medida seria de difícil implementação e poderia ser questionada na Justiça.

O plano foi aventado como uma forma de pressionar o governo mexicano a pagar diretamente pelo muro – algo que este recusou categoricamente.

O veredito do Reality Check sobre a declaração de Trump: segundo as autoridades fronteiriças dos EUA, já há de fato obras para aumentar a segurança na fronteira, mas com dinheiro até agora restrito a modelos de barreiras que já existem. Até agora, não está claro como o acordo comercial com o México poderá financiar o aumento do muro.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.