13 dez 2018 às 22:17 hs
Macaco morre eletrocutado ao encostar rabo e patas em fios de 13 mil volts em bairro de Campo Grande

Por Graziela Rezende, G1 MS

 


Macaco prego adulto foi encontrado eletrocutado em Campo Grande — Foto: Redes sociais/ReproduçãoMacaco prego adulto foi encontrado eletrocutado em Campo Grande — Foto: Redes sociais/Reprodução

Macaco prego adulto foi encontrado eletrocutado em Campo Grande — Foto: Redes sociais/Reprodução

Um macaco-prego adulto morreu eletrocutado ao encostar em fios de alta tensão, na Vila Nasser, em Campo Grande. O animal foi encontrado na madrugada desta quinta-feira (13) e, conforme testemunhas, o acidente ocorreu horas antes.

A Energisa – concessionária que administra a distribuição de energia elétrica na maior parte do estado – foi acionada e ajudou na retirada, sendo entregue em seguida para a Polícia Militar Ambiental (PMA). Os fios no local são de 13 mil volts.

“Nós solicitamos o apoio, porque envolvia alta tensão e é perigoso. Ele foi levado para o projeto Florestinha, onde atendemos 16.662 crianças, em 13 municípios de Mato Grosso do Sul este ano. Agora, a intenção é taxidermizar [empalhar] e usar na educação ambiental”, afirmou ao G1 o tenente-coronel Ednilson Queiroz.

Conforme testemunhas, o macaco estava solitário há cerca de 4 dias. “Nós orientamos que, se o animal sair de uma vegetação próxima, como foi o caso dele, é interessante evitar mexer, se aproximar para tirar foto, já que ele geralmente retorna. Em Campo Grande, temos muita vegetação com preservação de fauna e, uma hora ou outra, este conflito pode acontecer. Temos de aprender a conviver”, finalizou.

Testemunhas disseram que macaco foi encontrado na madrugada desta quinta-feira (13) — Foto: Redes sociais/ReproduçãoTestemunhas disseram que macaco foi encontrado na madrugada desta quinta-feira (13) — Foto: Redes sociais/Reprodução

Testemunhas disseram que macaco foi encontrado na madrugada desta quinta-feira (13) — Foto: Redes sociais/Reprodução

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.