6 mar 2019 às 14:43 hs
Fervo da Lud, que terminou por causa de confusão generalizada, teve 217 foliões atendidos por serviço médico

Por Bom Dia Rio


Polícia investiga como iniciou a confusão no bloco da cantora Ludmilla
Polícia investiga como iniciou a confusão no bloco da cantora Ludmilla

O Fervo da Lud, bloco comandado pela cantora Ludmilla nesta terça-feira (5) no Centro do Rio, teve 217 foliões que precisaram de atendimento médico. Deste total, 29 precisaram ser hospitalizados. O evento precisou ser interrompido após uma briga generalizada.

De acordo com a prefeitura, das 29 pessoas que acabaram transferidas para hospitais da rede municipal, nenhum tinha quadro clínico grave. O socorro em hospital foi feito devido à quantidade de pacientes no local do evento, o que levou os coordenadores dos postos da Secretaria Municipal de Saúde optaram pelas remoções para liberar leitos nos postos e assim receber outros pacientes.

Confusão no bloco Fervo da Lud, no Centro do Rio — Foto: Alexandre Durão/Código19/Estadão Conteúdo
Confusão no bloco Fervo da Lud, no Centro do Rio — Foto: Alexandre Durão/Código19/Estadão Conteúdo

Ainda segundo a prefeitura, outras 12 pessoas que estavam no bloco procuraram diretamente o Hospital Municipal Souza Aguiar. A maioria dos pacientes apresentava cortes ou traumas diversos, intoxicação por álcool/drogas ou gás.

Segundo a Polícia Militar, três policiais que cuidavam da segurança do bloco também acabaram feridos.

A Riotur informou que o Fervo da Lud atraiu 1,2 milhão ao Centro da cidade. A polícia investiga como teve início a grande confusão que levou ao término antecipado da festa.

Os foliões começaram a se concentrar na Avenida Presidente Antônio Carlos ainda no começo da manhã. O desfile começou às 10h e foi interrompido por volta das 12h30, quando começou a confusão. A polícia usou bombas de efeito moral, gás de pimenta, gás lacrimogênio e cassetetes contra foliões.

Fervo da Lud confusão interrompe — Foto: Reprodução/GloboNews
Fervo da Lud confusão interrompe — Foto: Reprodução/GloboNews

Esta foi a segunda edição do Fervo da Lud, que estreou no carnaval carioca em 2018. Segundo a prefeitura, o público neste ano foi o dobro do registrado no anterior.

“Queria pedir desculpa por ter acabado desse jeito”, disse Ludmilla, emocionada em cima do trio elétrico.

“Eu não teria que tivesse acabado assim, mas alguém acabou brigando no meio de todo mundo, que acabou causando isso tudo. Queria pedir desculpa para todo mundo que veio no meu bloco. Queria pedir para todo mundo ir embora em paz, aqui tá cheio de crianças. A gente veio pra cá para se divertir. Eu não queria que acabasse desse jeito.”

Ludmilla comanda o Fervo da Lud, que chega à segunda edição no carnaval 2019 — Foto: Carlos Brito/G1

Ludmilla comanda o Fervo da Lud, que chega à segunda edição no carnaval 2019 — Foto: Carlos Brito/G1

Ludmilla também usou suas redes sociais para comentar a confusão que teve durante seu bloco, o Fervo da Lud, que saiu na manhã desta terça-feira (5) no Centro do Rio. Ludmilla disse que está “profundamente triste”, mas que priorizou a segurança dos fãs ao encerrar o bloco.

Ludmilla lamenta fim do bloco com briga e pede que público vá embora
Ludmilla lamenta fim do bloco com briga e pede que público vá embora “em paz”

“O Carnaval é tempo de festa, alegria , união e também de doação de amor ao próximo, um momento de respiro para um povo que batalha o ano todo para alcançar seus objetivos. Há 2 anos, criei o Fervo da Lud com isso em mente: levar alegria e diversão ao maior número de pessoas e hoje, lamentavelmente, isso não foi possível. Fomos interrompidos e estou profundamente triste por ter presenciado tamanha agressividade ao próximo, mas certa de que optamos pela melhor opção, pois minha prioridade sempre será o bem-estar de todos. Espero que o total do amor que gostaria de ter doado hoje cantando seja transmitido nessa mensagem. Mais amor! Mais paz!”, escreveu a cantora.

Ludmilla canta no Fervo da Lud — Foto: Fernando Maia/ Riotur
Ludmilla canta no Fervo da Lud — Foto: Fernando Maia/ Riotur
ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.