25 out 2018 às 13:42 hs
“Eu quero ver”

A PALAVRA – Marcos 10:46-52

46E depois, foram para Jericó. E, saindo ele de Jericó com seus discípulos e uma grande multidão, Bartimeu, o cego, filho de Timeu, estava assentado junto do caminho, mendigando. 47E, ouvindo que era Jesus de Nazaré, começou a clamar, e a dizer: Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim.
48E muitos o repreendiam, para que se calasse; mas ele clamava cada vez mais: Filho de Davi! tem misericórdia de mim. 49E Jesus, parando, disse que o chamassem; e chamaram o cego, dizendo-lhe: Tem bom ânimo; levanta-te, que ele te chama. 50E ele, lançando de si a sua capa, levantou-se, e foi ter com Jesus. 51E Jesus, falando, disse-lhe: Que queres que te faça? E o cego lhe disse: Mestre, que eu tenha vista. 52E Jesus lhe disse: Vai, a tua fé te salvou. E logo viu, e seguiu a Jesus pelo caminho.
MENSAGEM – Nos momentos de trevas em nossa vida, a Palavra de Deus é sempre uma Luz, que ilumina a nossa caminhada na fé. No Evangelho, Jesus dá a um cego a luz da visão e da fé. (Mc 10,46-52) O núcleo central do evangelho de Marcos, que refletimos nesse ano, é uma caminhada de Jesus para Jerusalém, onde será morto e ressuscitará. No texto de hoje, temos o último Milagre e última Catequese de Jesus, encerrando sua caminhada para Jerusalém. Os APÓSTOLOS estavam “cegos” e necessitavam de “Luz”: aceitavam Jesus como Messias, mas não aceitavam a cruz. Perto de Jericó, um cego, sentado “à beira da estrada”, informou-se de que Jesus estava passando e gritou por socorro: “Filho de Davi, tem piedade de mim!” Esse episódio, mais do que uma crônica, é uma CATEQUESE BATISMAL: JESUS se manifesta, passa pelo caminho do cego… O CEGO não vê, mas percebe a presença do Senhor e acolhe o convite… Trava-se o diálogo… O cego recebe a visão da fé e segue Jesus pelo caminho até o Calvário. Quem era o cego Bartimeu? Um cego, à beira do caminho, marginalizado como tantos ainda hoje… O encontro aconteceu “ao longo do CAMINHO”. (“Caminho”: cristianismo) O cego não estava no caminho, estava à margem da religião e da vida. No final, também Bartimeu seguiu Jesus “no caminho”. A Cura de Bartimeu é mais do que a história de um cego… É o caminho da FÉ, dos que querem VER e SEGUIR Jesus. O que faz o cego? Está atento à passagem de Cristo…Toma consciência de sua situação e decide sair dela. Supera o medo, a vergonha, começa a gritar, pede ajuda: Não desanima diante das contrariedades, continua procurando a Luz… mesmo quando o povo manda que se cale… E quando Jesus o chama: dá um pulo, joga o manto para longe e corre ao encontro daquele que podia restituir a vista. Saiu da margem do caminho e se pôs no caminho com o Mestre. Joga fora o Manto, em que recolhia as esmolas… Para o pobre mendigo, o manto era a sua riqueza, a sua casa, o seu abrigo. Quais são os obstáculos que impedem tanta gente, que quer enxergar, de se aproximar mais de Cristo e de sua Igreja? Talvez as nossas discórdias internas, a falta de unidade dos cristãos, talvez uma falta de acolhimento, também uma linguagem complicada, talvez um chamado mais carinhoso? Dá um “Salto” ao encontro de Jesus: É um gesto significativo “pular” para um cego que “não vê”… Mas Bartimeu entendeu que Cristo podia curá-lo. Por isso, jogou o manto, deu um “Pulo” e se aproximou de Jesus. Que tipos de pessoas o cego encontra? Uns atrapalham: tentam abafar o seu grito… mandam que se cale… Outros ajudam, animam: “Coragem, ele TE CHAMA…” Jesus ESCUTA o grito sofrido e confiante do cego, PÁRA e LIBERTA: Da margem, Jesus o coloca no centro do caminho. Dá a luz da VISÃO e a luz da FÉ. E Nós o que podemos fazer? 1) Descobrir as nossas cegueiras: Cegos são todos os que “não vêem” no seu coração as coisas importantes, não reconhecem a presença e o amor de Deus e vivem na escuridão. Quais são as nossas cegueiras, que devemos apresentar a Cristo, para que ele nos cure e nos dê a verdadeira Luz? 2) Perseverar na Oração como Bartimeu. Somos pacientes e perseverantes na oração? 3) Seguir Jesus no Caminho: Na Igreja primitiva, “o Caminho” significava o cristianismo. Os “seguidores do Caminho” eram os cristãos. O cego curado seguiu Jesus pelo caminho, tornou-se um “Discípulo”. Para ser “Discípulo” precisa querer VER e decidir CAMINHAR. Não basta a euforia do primeiro encontro. Façamos nossa, a oração do cego: “Mestre, eu quero ver! Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa – 28.10.2018

 

NOTÍCIAS DIOCESANAS

02de novembro – Missa no Cemitério Central – 07,30.

02 – 04 novembro “Crismas nas duas paróquias de São Gabriel.

04 de novembro – “ Concentração diocesana do “Terço dos Homens” – Rio Verde.

Avisto importante:

Na noite do sábado 03, inicia a Hora de verão. Portanto, todas as Missas de noite serão às 19,30 hs.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.