31 jul 2018 às 07:09 hs
Esquiador francês desaparecido desde 1954 é identificado com ajuda das redes sociais

Foto de Henri Le MasneDireito de imagemGETTY IMAGES
Image captionHenri Le Masne desapareceu após esquiar durante uma tempestade perto de Matterhorn, em 1954

Um esquiador francês que desapareceu na Itália há mais de 60 anos foi identificado depois que sua história foi compartilhada nas redes sociais.

Em 2005, a polícia italiana encontrou restos mortais, equipamentos de esqui e um par de óculos, no alto de um vale na região da Aosta.

Mas os investigadores não conseguiram identificar a vítima e, no mês passado, decidiram divulgar a descoberta no Facebook.

Foi então que uma família francesa desconfiou que poderia ser um parente seu: Henri Le Masne.

Pistas

Os pertences foram achados a 3 mil metros de altura nos Alpes, perto da fronteira com a Suíça.

Havia algumas pistas sobre a identidade da vítima – como roupas bordadas com iniciais e esquis de madeira -, mas a polícia não conseguia dar um desfecho ao caso.

Os investigadores deduziram que os restos mortais pertenciam a um homem de 30 anos, com aproximadamente 1,75m de altura.

Também concluíram que a morte teria ocorrido provavelmente na primavera, segundo Marinella Laporta, investigadora da unidade de polícia forense em Turim.

Investigadores analisam dente do esquiadorDireito de imagemGETTY IMAGES
Image captionTeste de DNA confirmou a identificação do esquiador francês

Em junho, eles compartilharam o resultado da investigação nas redes sociais, com um apelo para que os leitores divulgassem a informação, especialmente na França e na Suíça.

A história foi então reproduzida por vários meios de comunicação na França.

Presentational white space

Emma Nassem sobe do caso pela estação de rádio local e se perguntou se o homem não identificado poderia ser seu tio Henri Le Masne, que desapareceu após esquiar durante uma tempestade perto do Matterhorn, na fronteira com a Suíça, em março de 1954.

O irmão mais novo dele, Roger, agora com 94 anos, escreveu um email às autoridades descrevendo Le Masne.

“Eu sou irmão de Henri Le Masne… que provavelmente é o esquiador que desapareceu há 64 anos. Ele era solteiro e bastante independente. Trabalhou no Ministério das Finanças em Paris”, dizia um trecho da mensagem.

Segundo a polícia, uma fotografia fornecida pela família mostrou que o par de óculos usado por Le Masne era igual ao que foi encontrado pelos investigadores nos Alpes.

Um teste de DNA realizado na sequência confirmou a identificação do esquiador.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.