20 dez 2018 às 23:48 hs
‘Embora tardia a decisão é justa’, diz Mochi sobre soltura de Puccinelli

Decisão foi proferida pelo STJ nesta segunda-feira. Ela beneficiará o ex-governador e o filho, presos na operação Lama Asfáltica

(Foto: Marcos Ermínio)

O presidente da ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul), Junior Mochi (MDB), deu sua opinião sobre o alvará de soltura do ex-governador preso na operação Lama Asfáltica, André Puccinelli (MDB). Para o parlamentar, a decisão, apesar de ser tardia, é justa.

A decisão foi proferida pela ministra do STJ (Superior Tribunal de Justiça), Laurita Vaz, na tarde desta quarta-feira (19). Além do ex-governador, a sentença também favoreceu o filho dele, André Puccinelli Junior, preso na mesma operação da Polícia Federal.

O presidente da ALMS declarou estar feliz com a decisão. “Confesso que não conheço o teor da sentença. Mas pelo que sei sobre o processo entendo, que embora tardia a decisão é justa. Não existe qualquer condenação e considerando a sua primariedade, Puccinelli e o filho pode responder em liberdade”, enfatizou.

Entenda

O ex-governador e o filho estão detidos no Centro de Triagem do complexo penitenciário no Jardim Noroeste, em Campo Grade, e devem ser soltos ainda hoje. A decisão de libertar o ex-governador e o filho é da ministra Laurita Vaz, que em outubro já havia concedido habeas corpus ao advogado João Paulo Calves, também preso em julho junto de Puccinelli e filho.

A íntegra da decisão da ministra deve ser publicada apenas em 1º de fevereiro, quando encerra o recesso do judiciário, marcado para iniciar nesta quinta-feira (20).

Ao Jornal Midiamax, a Agepen informou que o alvará de soltura ainda não chegou até o presídio e que alguns procedimentos burocráticos precisam ser cumpridos. A expectativa é que os dois deixem o Centro de Triagem ainda hoje.

O advogado Renê Siufi, que representa Puccinelli e o filho, afirma que a ordem de soltura da ministra será encaminhada para o juízo de Campo Grande, que repassará o alvará para um oficial de Justiça. A soltura deve acontecer no máximo até esta quinta-feira (20).

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.