10 jan 2019 às 07:34 hs
El Loco Abreu, o uruguaio globe-trotter que representou 28 clubes

DN

Avançado uruguaio de 42 anos assinou esta quarta-feira pelo Rio Branco, da IV divisão brasileira. É a 28.º camisola que veste na carreira, ele que já passou por 11 países diferentes.

São cada vez mais raros os casos de futebolistas que durante a carreira representaram um único emblema. Mas há jogadores que abusam na hora de trocar de clube. É o caso de Sebastián El Loco Abreu. O internacional uruguaio, de 42 anos, assinou esta quarta-feira pelo Rio Branco, do quarto escalão do futebol brasileiro, o 28.º clube da sua longa carreira.

Esta quarta-feira, durante a sua apresentação, o avançado garantiu que se sente em plenas condições físicas para mais este desafio. “Se estou bem fisicamente? Quem é atleta nunca deixa de treinar. Obviamente que preciso de ganhar ritmo e entrosamento. Mas sabem de uma coisa? Quando eu tinha 20 anos corria oito quilómetros por jogo. Hoje corro sete. Neste aspeto não há diferença, o problema pode estar em chegar a tempo a uma cruzamento para marcar golo”, referiu.

O avançado uruguaio, que jogava no Magallanes, dos escalões secundários do Chile, revelou durante a sua apresentação as razões que o levaram a optar por um clube da IV Divisão brasileira. “Foi o desejo do Rio Branco e o meu, de ajudar o clube a subir no patamar nacional e a ganhar destaque no panorama internacional. Mas obviamente sou uma pessoa exigente. Quis saber onde ia treinar, vi vídeos dos adeptos, quis informar-me sobre as infraestruturas. Como achei que tinham um bom projeto, pensei que seria um bom sítio para curtir o futebol.”

Ao todo, são já 28 clubes em 24 anos de carreira de 11 páises diferentes – com passagens repetidas por emblemas como o Nacional de Montevideu (quatro ocasiões diferentes). Sebastián Abreu atuou ainda no Defensor Sporting, San Lorenzo, Deportivo da Corunha, Grêmio de Porto Alegre, Estudiantes Tecos, Nacional Montevideu, Cruz Azul, América, Dorados, Monterrey, Tigres, San Luis, River Plate, Beitar Jerusalém, Real Sociedad, Aris Salónica, Botafogo, Figueirense, Rosário Central, Aucas, Sol de America, Santa Tecla, Bangu, Central Español, Puerto Montt, Audax Italiano, Magallanes e agora o Rio Branco.

A continuar assim, Abreu está perto de apanhar Túlio Maravilha (mais de 30 equipas). Esta marca não está registada no livro dos recordes, mas várias fontes apontam para o brasileiro como o futebolista que mais camisolas vestiu ao longo da carreira. Além do Brasil, jogou em equipas da Suíça, Hungria, Bolívia e Arábia Saudita, entre 1988 e 2014.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.