7 nov 2018 às 20:13 hs
Dar sem medida

A Palavra – Evangelho Marcos 12:38-44

38 E, ensinando-os, dizia-lhes: Guardai-vos dos escribas, que gostam de andar com vestes compridas, e das saudações nas praças, 39 E das primeiras cadeiras nas sinagogas, e dos primeiros assentos nas ceias; 40Que devoram as casas das viúvas, e isso com pretexto de largas orações. Estes receberão mais grave condenação. 41E, estando Jesus assentado defronte da arca do tesouro, observava a maneira como a multidão lançava o dinheiro na arca do tesouro; e muitos ricos deitavam muito. 42Vindo, porém, uma pobre viúva, deitou duas pequenas moedas, que valiam meio centavo. 43E, chamando os seus discípulos, disse-lhes: Em verdade vos digo que esta pobre viúva deitou mais do que todos os que deitaram na arca do tesouro; 44Porque todos ali deitaram do que lhes sobejava, mas esta, da sua pobreza, deitou tudo o que tinha, todo o seu sustento.

MENSAGEM – A Liturgia nos fala do espírito com que devemos fazer as nossas OFERTAS. São protagonistas nas leituras DUAS VIÚVAS, pessoas frágeis e carentes, segundo a sociedade antiga, mas muito generosas em doar… Na 1a Leitura, temos o Exemplo da viúva de Sarepta. (1 Rs 17,10-16) Ela oferece tudo o que tem e Deus abençoa a sua generosidade. A 2ª Leitura nos apresenta o Exemplo de Cristo, o Sumo Sacerdote, que se doa inteiramente pela salvação da Humanidade. (He 9,24-28) No Evangelho, vemos o Exemplo de outra viúva. (Mc 12,38-44) Jesus senta-se perto da caixa de esmolas no templo e observa: De um lado, uma pobre viúva, oferece discretamente duas moedinhas; Do outro, gente importante dá solenemente grandes quantias… Jesus censura o gesto dos fariseus e louva a GENEROSIDADE da viúva. A oferta da viúva era pequena, mas era tudo o que ela tinha. Deus não calcula a quantia que damos, mas o amor com que damos. Duas viúvas, simples e humildes, revelam a grandiosidade dos pequenos gestos. Toda oferta que brota do coração tem valor incalculável aos olhos de Deus. A hospitalidade da primeira é compensada pelo milagre de Elias e a humilde generosidade da segunda merece de Jesus um grande elogio. Se Jesus viesse hoje em nossa igreja, o que ele enxergaria?  A que grupo nós pertenceríamos? Quais as pessoas que mais oferecem na comunidade? O Padre, os ministros, os animadores das pastorais? É difícil responder… Mas eu tenho a certeza, que muitas pessoas humildes, silenciosas, muito ocupadas, oferecem à comunidade um serviço semelhante à oferta da viúva: oferecem com sacrifício TUDO o que podem…

E Deus não se deixa vencer em generosidade… E se Jesus olhasse as nossas OFERTAS, o que teria a dizer? São ofertas generosas, dadas com alegria, como gesto de amor e de fé, ou é um jeito para se livrar de uns trocadinhos? Podemos dar uma esmola material, podemos partilhar nosso tempo, nossos conhecimentos ou até nossa alegria com um sorriso. E se olhasse o nosso DÍZIMO? É uma oferta para retribuir a Deus um pouco do muito que recebemos e assim participar na manutenção da nossa religião? Ou apenas nos lembramos quando precisamos de um serviço da comunidade, dando a idéia que é uma taxa para comprar algum sacramento? Na Bíblia, encontramos com frequência uma verdade: Deus, embora criador de todo o universo, sempre quer e exige ofertas da parte dos homens. Assim já nas primeiras páginas da Bíblia, encontramos os homens oferecendo em sacrifício as primícias de seus trabalhos, como homenagem de gratidão a Deus. Encontramos: Abel e Caim oferecendo um sacrifício a Deus. (Gn 4) Deus aceitou o de Abel e rejeitou o de Caim… No Antigo Testamento: tinham taxas fixas: o DÍZIMO… Primeiros cristãos: punham os bens em comum… A Igreja retomou o Dízimo, como um dos PRECEITOS, que os nossos católicos esquecem com muita facilidade. O costume do dízimo foi introduzido por Deus. No Livro de Malaquias, Deus se queixa de quem o “enganava”, por não pagar “integralmente”…  (Ml 3,6-10) Será que ainda hoje há gente, que continua enganando? QUANTO se deve dar?  Deus não nos dá uma taxa fixa. Deixa a critério de nossa generosidade. Entre os Antigos, dava-se o Dízimo (10%), atualmente muitos cristãos dão o Centésimo (1%) da renda familiar, outros o correspondente a um dia de trabalho por mês… Deve ser uma verdadeira oferta, não apenas uma esmola insignificante… No Evangelho, vimos muitos ricos colocando grandes quantidades, e a única pessoa que impressionou a Cristo foi a pobre viúva, que não pôs muito, mas deu tudo o que tinha, e com alegria. Dízimo não é doação apenas de dinheiro. Podemos dar também o nosso tempo, em favor da comunidade… Tudo pode ser feito com gestos muito simples, como o da viúva… Como partilhamos aquilo que somos e temos? A Escritura nos garante: “Deus ama a quem dá com alegria”. (2Cor 9,7) Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa – 11.11.2018

 

NOTÍCIAS DIOCESANAS

11 -18 novembro: Semana da Solidariedade – II Jornada Mundial dos POBRES.

Ajudemos os mais necessitados a passar um Natal sereno e feliz. Leve alimentos e roupa na Igreja ou na secretaria paroquial. Deus vai retribuir em dobro.

09 novembro – Missa no Cerradinho.

10 novembro – Missa na comunidade “Divino Pai Eterno”.

10 novembro – Tarde de lazer para os “Expeditinhos de Jesus”, na Sto. Expedito.

BINGO em prol do Seminário Diocesano.

O prêmio é um FIAT MOBI. As cartelas se encontram em todas as paróquias. Será realizado no dia 08 de dezembro em São Gabriel.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.