10 jan 2019 às 08:28 hs
Com seguro defeso atrasado, pescadores de MS dependem de doações para alimentar famílias

Por TV Morena, G1MS — Campo Grande

Pescadores de Corumbá, a 415 km de Campo Grande, estão aguardando o pagamento do seguro- defeso, desde o fechamento da pesca, no dia 5 de novembro de 2018.

O primeiro prazo estipulado para o pagamento, era até o dia 24 de dezembro do ano passado, depois uma nova data, 8 de janeiro, agora a nova previsão é que o recurso seja liberado a partir do dia 20 de janeiro. Nesta quarta-feira (9), cerca de 50 pescadores fizeram protesto no Porto Geral da cidade.

A nova previsão é que o recurso seja liberado a partir do dia 20 de janeiro. — Foto: Reprodução/TV MorenaA nova previsão é que o recurso seja liberado a partir do dia 20 de janeiro. — Foto: Reprodução/TV Morena

A nova previsão é que o recurso seja liberado a partir do dia 20 de janeiro. — Foto: Reprodução/TV Morena

Há 27 dias, dona Cecilia está em Corumbá vivendo de doações. Ela mora a 250 km do centro urbano, na região de Barra de São Lourenço, e não tem dinheiro para voltar para casa. Ela e outros 4900 pescadores de Mato Grosso do Sul, ainda não receberam o Seguro Defeso.

“Passei natal e ano novo sem dinheiro. Meus filhos vendo os outros comerem e beberem, e eu sem ter o que dar para eles. Isso dói muito”, desabafa.

Como está longe de casa, o filho da pescadora de 11 anos está sem estudar. As escolas do pantanal têm um calendário diferente por causa da cheia e vazante do bioma, e o garoto já está perdendo aulas.

O benefício, que equivale a um salário mínimo, serve como renda no período em que a pesca é proibida, de novembro a janeiro. A proibição vale para todo país para garantir a reprodução das espécies. Sem trabalho, os pescadores dependem do seguro-defeso ao longo do período.

Cerca de 4900 pescadores de Mato Grosso do Sul, ainda não receberam o Seguro Defeso. — Foto: Reprodução/TV MorenaCerca de 4900 pescadores de Mato Grosso do Sul, ainda não receberam o Seguro Defeso. — Foto: Reprodução/TV Morena

Cerca de 4900 pescadores de Mato Grosso do Sul, ainda não receberam o Seguro Defeso. — Foto: Reprodução/TV Morena

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), é o órgão responsável por liberar o pagamento do seguro defeso. Segundo a Colônia de Pescadores duas das quatro parcelas da assistência estão atrasadas, e muitos estão vivendo com a ajuda de doações.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.