12 set 2018 às 09:27 hs
Com faturamento de R$ 2,6 bi, mercados apostam na tecnologia

A 28ª edição do Congresso e Exposição Sul-Mato-grossense de Produtos e Serviços “Super Amas” começou hoje e segue até quinta-feira na Capital

Guilherme Henrique
Presidente da Associação Brasileira de Supermercados presidente João Sanzovo (Foto: Paulo Francis)
Presidente da Associação Brasileira de Supermercados presidente João Sanzovo (Foto: Paulo Francis)

O setor varejista fatura anualmente R$ 2,6 bilhões em Mato Grosso do Sul. A projeção da Abras (Associação Brasileira de Supermercados) é de nos próximos anos aumentar a cifra, com o crescimento do setor baseado na implementação de meios tecnológicos para facilitar a vida do cliente, projeta o presidente da entidade João Sanzovo.

A afirmação foi feita durante a abertura da 28º edição do Congresso e Exposição Sul-Mato-grossense de Produtos e Serviços “Super Amas”, na tarde desta terça-feira (11), no Albano Franco, em Campo Grande. A entrada é gratuita e o evento segue até a quinta-feira (13).

Conforme João Sanzovo, a nível nacional o setor melhorou este ano em relação ao ano passado. Em 2017, o crescimento foi de 1,7%. Neste ano a estimativa era de atingir até 3%, no entanto, fatores como a greve dos caminhoneiros fez com que a Abras reavaliasse o percentual e agora acredita que o varejo deve atingir 2,5% de crescimento em 2018.

Empresário e visitantes em stands de feira nesta terça (Foto: Paulo Francis)
Empresário e visitantes em stands de feira nesta terça (Foto: Paulo Francis)

“Mato Grosso do Sul segue a média nacional e a projeção é de crescimento do setor nos próximos anos. Prova disso, são os supermercadistas e fornecedores presentes na feira em busca de conhecimento e modernização até como meio de sobrevivência”, destaca.

Além disso, segundo o presidente com 2,6 bilhões, hoje o Estado ocupa a 16ª colocação no ranking dos Estados com maior faturamento.

De acordo com o presidente da Amas (Associação Sul-Mato-grossense de Supermercados) Edmilson Jonas Veratti, atualmente Mato Grosso do Sul tem 1.917 mil empresas somando hipermercados, supermercados, minimercados e mercearias. O setor emprega cerca de 23 mil trabalhadores diretamente. “É um setor extremamente formal e sempre com a preocupação em manter as vagas preenchidas”, disse.

Edmilson ainda reforçou a tese do presidente da Abras enfatizando que “não há mais espaço para o amadorismo no setor. A profissionalização é o caminho para a rentabilidade e eficiência em todos os processos”, afirma.

Presidente da Associação Sul-Mato-grossense de Supermercados Edmilson Jonas Veratti (Foto: Paulo Francis)
Presidente da Associação Sul-Mato-grossense de Supermercados Edmilson Jonas Veratti (Foto: Paulo Francis)

Supermercadista – A projeção de crescimento também do setor supermercadista também foi compartilhada pelos empresários que visitaram a feira. Lucas Frances, do grupo Veratti, acredita que a grande aposta para o Estado é o crescimento do setor impulsionado pelo interior.

“Diferente do país, o varejo em Mato Grosso do Sul deve crescer mais. Nosso interior tem muito potencial e os empresários já estão cientes disso. Acredito que este será o grande “boom” na economia”, estima.

Além disso, segundo o supermercadista, a escolha do presidente da entidade nacional e estadual tem impacto direto no avanço do setor. “É algo que sempre estamos acompanhando, pois depende muito se o representante é uma pessoa que está diretamente ligada ao meio”, explica.

Já o gerente de expansão do grupo Pires, Vagner Lacerda, a projeção para o futuro é mais modesta. Ele espera que ao menos não haja regressão e a saída para manter o faturamento é fortalecer alianças.

“O que mais sentimos de impacto na escolha dos presidentes das associações é na questão da burocracia. Nesta gestão sentimos empenho nesse quesito, além do incentivo para investirmos no setor”, comenta.

No total, 60 stands compõe a 28ª da feira este ano no Albano Franco (Foto: Paulo Francis)
No total, 60 stands compõe a 28ª da feira este ano no Albano Franco (Foto: Paulo Francis)

Feira – A “Super Amas” contempla as maiores marcas nacionais e regionais de produtos e serviços. Além disso, é considerada a melhor do segmento varejista do Estado. São cerca de 500 marcas nacionais e regionais em máquinas, equipamentos e soluções tecnológicas expostas para comercialização em 60 stands. A expectativa da organização é de durante os três dias de evento cerca de 3 mil visitantes passem pelo local.

A novidade este ano é o “Espaço de Panificação” onde ocorrem três workshops diários com temas sobre panificação, confeitaria e salgados. O objetivo, conforme a organização é o de ampliar o conhecimento dos empresários, gerentes e funcionários diretamente envolvidos.

Ainda no espaço, palestras e debates geram reflexões entre os envolvidos sobre o futuro do varejo e como melhorar os processos de compra, venda e gestão de lojas.

“A grande sacada é de por meio da feira promover um “link” com o produtor regional e as grandes redes impulsionando o crescimento de ambos os lados”, lembrou o secretário de desenvolvimento econômico Jaime Verruck.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.