7 nov 2018 às 14:06 hs
Bolsonaro diz que ‘muitas vezes’ vai consultar Toffoli antes de tomar decisões

Por Renan Ramalho — Brasília


Jair Bolsonaro se encontra com ministro Dias Toffoli no STF
Jair Bolsonaro se encontra com ministro Dias Toffoli no STF

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, afirmou nesta quarta-feira (7) que “muitas vezes” vai consultar o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, antes de tomar decisões.

Bolsonaro e Toffoli fizeram uma declaração à imprensa após uma reunião dos dois no tribunal.

“Pode ter certeza Vossa Excelência que muitas vezes antes de tomar iniciativa o procurarei para que a gente possa aperfeiçoar essa idea e ela, de forma mais harmônica, siga seu curso nacional dentro do parlamento”, disse o presidente eleito.

De acordo com Bolsonaro, não será uma pessoa que vai salvar o país, mas sim a união entre os poderes e a população.

“Nenhuma pessoa sozinha vai salvar a nossa pátria, mas a união de autoridades, juntamente com seu povo, tem a condição de oferecer alternativas para que o Brasil ocupe a posição de destaque no cenário mundial”, afirmou.

Toffoli fez uma declaração antes de Bolsonaro e disse que, entre os três desafios imediatos do país, estão a reforma da Previdência, o equilíbrio fiscal e o combate à violência, principalmente na redução de homicídios.

Ele afirmou que o STF está aberto para realizar um pacto com os demais poderes com o objetivo de aperfeiçoar as leis.

“Da parte do Supremo Tribunal Federal, estamos abertos a esse diálogo institucional, estabelecer um pacto republicano”, disse. “Relação entre os poderes é de independência, mas temos o dever da harmonia”, declarou Toffoli.

Toffoli destacou que Bolsonaro será “o presidente de todo o país, de toda a nação brasileira” a partir do ano que vem.

Participaram da reunião também filhos de Bolsonaro e integrantes da equipe do presidente do STF.

Na saída do tribunal, questionado pelo G1, o ministro não quis comentar a proposta de aumento salarial para magistrados da Corte prestes a ser votada no Senado. Mais cedo, Bolsonaro disse que não é o momento para conceder o reajuste.

Jair Bolsonaro e Sérgio Moro durante visita ao presidente do STJ
Jair Bolsonaro e Sérgio Moro durante visita ao presidente do STJ

STJ

Bolsonaro também esteve nesta quarta no Superior Tribunal de Justiça (STJ), onde foi recebido em um almoço pelo presidente da Corte, ministro João Otávio de Noronha.

O presidente eleito chegou ao tribunal acompanhado do futuro ministro da Justiça, o juiz Sérgio Moro. Bolsonaro e Moro foram recepcionadas por servidores do STJ, que os aplaudiram e posaram para fotos. Segundo Bolsonaro, Moro foi convidado por Noronha para participar do almoço. O juiz não concedeu entrevista.

“Foi convidado (Moro) pelo presidente (João Otávio de Noronha). Fico muito feliz e honrado que o nosso querido juiz Sérgio Moro está colaborando para que o Brasil realmente seja no futuro livre de corrupção e do crime organizado”, disse o presidente eleito em rápida entrevista.

Bolsonaro ainda declarou que a responsabilidade para melhorar a situação do país é de “todo mundo”. “O Brasil tem potencial para sair da crise, mas depende de todos nós e temos certeza de que cada um fará sua parte”, ressaltou.

Agenda em Brasília

Bolsonaro chegou a Brasília na terça-feira (6), em sua primeira viagem à capital após ter sido eleito. Ainda na terça, ele participou de uma sessão no Congresso em homenagem aos 30 anos da Constituição. Depois se reuniu com o ministro da Defesa, general Silva e Luna, e representantes das Forças Armadas.

Nesta quarta, depois do encontro com Toffoli, Bolsonaro deve participar de uma reunião no gabinete de transição de governo. Mais tarde, ele vai se encontrar com o presidente Michel Temer.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.