26 jul 2018 às 20:07 hs
Camarim Politico
Willams Araújo

A música “tudo está no seu lugar, graças a Deus, graças a Deus”, de Benito di Paula, tão cantada por Carlos Marun (MDB-MS), já não é mais entoada nos quadros emedebistas por conta dos últimos episódios envolvendo o principal líder do partido em Mato Grosso do Sul. Aliás, o tom é totalmente outro dentro do grupo e até mesmo entre os partidos aliados após a prisão de André Puccinelli, embora a estratégia usada seja que o ex-governador continua pré-candidato ao governo do Estado.

Revés
Revés

Em pré-campanha à reeleição, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) ganhou a queda de braço contra o MDB de André Puccinelli e contra o PDT de Odilon de Oliveira, atraindo o PSB para o seu palanque.  Liderado pelo deputado federal Elizeu Dionízio, o partido do saudoso Miguel Arraes (PE) oficializou ontem, durante convenção, aliança com os tucanos, depois de arrastar asas para o MDB.

Mesma linguagem

Executiva nacional do DEM aprovou na quarta-feira (25), por unanimidade, o apoio da legenda à pré-candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB) ao Palácio do Planalto. A decisão, que ainda será levada à convenção nacional da sigla, marcada para o próximo dia 2 de agosto, só reforça a possibilidade de aliança dos democratas à candidatura de Reinaldo Azambuja em MS.

Via Crúcis

Prefeitos de várias regiões do país vão a Brasília nos dias 7 e 8 de agosto a fim de cobrar do Congresso Nacional a votação de matérias de interesse dos municípios. A convocação foi feita pela CNM (Confederação Nacional de Municípios), da qual a Assomasul é filiada. Estão de olho em vários pontos, entre os quais, a nova Lei de Licitações, os royalties do petróleo e o projeto que define as compensações da Lei Kandir.

Pendengas

Outras três pautas de interesse dos prefeitos, que também tramitam no Congresso e deverão ser lembradas na mobilização, referem-se ao Conselho de Gestão Fiscal, à cobrança do ISS sobre os serviços de monitoramento e rastreamento de veículos e carga e à legitimação de entidade representativa de municípios propor ADI e ADC no STF. Além do Congresso, onde estarão agendadas reuniões com lideranças estaduais e partidárias, os prefeitos vão tentar audiência no Palácio do Planalto e no TCU.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.