No Brasil há idosos que recebem “dose de ar” ao invés da vacina
  • No Banner to display

  • celular

Correio do Pantanal

16 fev 2021 às 20:36 hs
No Brasil há idosos que recebem “dose de ar” ao invés da vacina
No Brasil há idosos que recebem "dose de ar" ao invés da vacina 
Foto: DR

Rafaela PereiraOntem às 13:06

No Brasil há idosos que recebem “dose de ar” ao invés da vacina 

A internet está a ser usada para divulgar imagens de burlas na vacinação de idosos, no Brasil. Foram identificados casos em que enfermeiros tentam enganar os pacientes ao administrar a vacina contra a covid-19, mas são apanhados pelos familiares que acompanham o processo e que registaram o momento em que os profissionais de saúde inserem a agulha. O problema é que alguns não injetam o líquido ou a seringa está vazia – esta ação está a ser designada de “dose de ar”.

Segundo a imprensa local, o objetivo destes profissionais de saúde seria guardar a dose para injetar em familiares ou amigos.https://www.youtube.com/embed/y0I-fbMLU3A?enablejsapi=1&origin=https%3A%2F%2Fwww.jn.pt&widgetid=1

Em Petrópolis, no Rio de Janeiro, uma idosa de 94 anos foi filmada a ser picada pela a agulha, mas as imagens de vídeo mostram que a seringa se encontrava vazia na fase de aplicação. Contudo, o familiar que acompanhava a paciente sugeriu que a enfermeira realizasse a troca da seringa e, ao dirigir-se à idosa já com uma nova, constata que esta segunda seringa também estava sem dose. A técnica foi afastada do cargo e já identificada.

Em diferentes cidades do Brasil, aconteceram situações semelhantes, como é o caso de pacientes em Goiânia e Niterói, onde também foram filmados alguns momentos da vacinação. Os vídeos atingiram grandes proporções e rapidamente se expandiram pela Internet.https://www.youtube.com/embed/ZkEiG-2oBWc?enablejsapi=1&origin=https%3A%2F%2Fwww.jn.pt&widgetid=2

Face à repercussão do caso, as autoridades propõem que os pacientes interpelem os profissionais de saúde que estão a realizar a vacinação e em algumas zonas do Brasil é obrigatório mostrar o frasco da vacina. Após a aplicação, a seringa tem de estar vazia, para garantir que a situação não volte a acontecer.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: