Coreia do Norte afasta responsável económico por “falta de ideias inovadoras”

Correio do Pantanal

12 fev 2021 às 17:05 hs
Coreia do Norte afasta responsável económico por “falta de ideias inovadoras”
O líder da Coreia do Norte Kim Jong Un
O líder da Coreia do Norte Kim Jong UnFoto: KCNA VIA KNS / AFP

JN/AgênciasHoje às 08:27

O líder da Coreia do Norte afastou um responsável do Comité central para a área económica por não ter apresentado ideias “inovadoras e táticas claras” na gestão da economia do país.

“O Gabinete não desempenhou um papel de liderança no desenvolvimento dos planos dos principais campos económicos”, afirmou Kim Jong-un, na quinta-feira, citado pela agência de notícias estatal norte-coreana KCNA.

A agência também indicou que O Su-yong foi nomeado novo diretor do Departamento de Assuntos Económicos do Comité Central, órgão máximo de Governo no país, durante a reunião desta semana, em substituição de Kim Tu-il, escolhido em janeiro pelo líder norte-coreano.

De acordo com os meios de comunicação social sul-coreanos, este é um dos períodos mais duros desde que Kim Jong-un assumiu o poder, em 2011.

A manutenção das sanções dos Estados Unidos ao país devido ao programa nuclear e de mísseis, o encerramento da fronteira devido à pandemia da covid-19 e os desastres naturais que, no ano passado, impediram uma boa colheita agrícola, aprofundaram as dificuldades económicas do país, levando Kim a admitir publicamente que os planos económicos do passado não foram bem sucedidos.

Um novo plano quinquenal de desenvolvimento económico foi aprovado durante o congresso do Partido dos Trabalhadores (no poder), em janeiro. Agora, durante a reunião do Comité Central do partido, órgão máximo do Governo no país, Kim Jong-un criticou a forma como o plano tinha sido executado até aqui.

O líder norte-coreano acusou o Comité de ter fixado objetivos demasiado elevados para a produção agrícola deste ano e, por outro lado, demasiado baixos para a produção de eletricidade, cuja escassez pode paralisar o trabalho nas minas de carvão e em outras indústrias, de acordo com a agência de notícias Associated Press.

Em janeiro, no congresso do partido, Kim tinha pedido um maior controlo do Estado sobre a economia, com reforço da produção agrícola e prioridade ao desenvolvimento das indústrias química e metalúrgica, muito afetadas pelas sanções norte-americanas.

Por outro lado, o ministro dos Negócios Estrangeiros norte-coreano, Ri Son-gwon, foi nomeado membro do Comité Central, na mesma reunião que se prolongou por quatro dias e terminou na quinta-feira, afirmou a KCNA.

As sessões plenárias do Comité central norte-coreano decorrem pelo menos uma vez por ano. Esta foi a segunda, já que a primeira decorreu no mês passado, ao mesmo tempo do congresso do partido.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.